;















publicado por sattotal às 21:29 | link do post










































;















publicado por sattotal às 21:29 | link do post
TV ALTEROSA – MINAS
mms://wmediactbc.uai.com.br/qzwxec

TV CIDADE – ARACAJU – SE – REDE TV
mms://201.39.143.4/tvcidade

Meteo Channel

http://media.meteo.it/vsat.asx

CBL Movies
mms://151.1.245.71/CBLFILM-LIVE

Eco TV - Cinque Stelle
mms://iptv.telecard.it/Cinquestelle

RTL 102.5 TV
http://www.rtl.it/player/streaming/rtlTV.asx

Radio Italia TV
http://radioitalialive.str.idc.extra.it/radioitaliatv

Onda TV
mms://88.63.129.51:8080

Rock Television
mms://194.116.83.15/New

Rai Sport
http://mediapolis.rai.it/relinker/relinkerServlet.htm?cont=4145

Sport Italia
mms://mms.cdn-tiscali.com/sportitalia

Canale 7
mms://151.1.245.65/canale7

LA8
mms://iptv.telecard.it/LA8VE_HQ

LA9
mms://iptv.telecard.it/LA9_LQ

3 Channel
mms://84.233.254.2/3Channel

TV Oggi
mms://85.18.170.70:8080/

Più Blu
http://www.pctelevision.it/streaming/piublu.asx

Primo Canale
mms://iptv.primocanale.it/diretta T

RS TV
mms://wms.mclink.it/mm9691_67_live

publicado por sattotal às 17:48 | link do post
TV ALTEROSA – MINAS
mms://wmediactbc.uai.com.br/qzwxec

TV CIDADE – ARACAJU – SE – REDE TV
mms://201.39.143.4/tvcidade

Meteo Channel

http://media.meteo.it/vsat.asx

CBL Movies
mms://151.1.245.71/CBLFILM-LIVE

Eco TV - Cinque Stelle
mms://iptv.telecard.it/Cinquestelle

RTL 102.5 TV
http://www.rtl.it/player/streaming/rtlTV.asx

Radio Italia TV
http://radioitalialive.str.idc.extra.it/radioitaliatv

Onda TV
mms://88.63.129.51:8080

Rock Television
mms://194.116.83.15/New

Rai Sport
http://mediapolis.rai.it/relinker/relinkerServlet.htm?cont=4145

Sport Italia
mms://mms.cdn-tiscali.com/sportitalia

Canale 7
mms://151.1.245.65/canale7

LA8
mms://iptv.telecard.it/LA8VE_HQ

LA9
mms://iptv.telecard.it/LA9_LQ

3 Channel
mms://84.233.254.2/3Channel

TV Oggi
mms://85.18.170.70:8080/

Più Blu
http://www.pctelevision.it/streaming/piublu.asx

Primo Canale
mms://iptv.primocanale.it/diretta T

RS TV
mms://wms.mclink.it/mm9691_67_live

publicado por sattotal às 17:48 | link do post
CANAIS PREMIUM


Band News
mms://tv.igmediacenter.ig.com.br/bandnews

BAND Sport
http://tvacores.co.cc/asx/inter/sportv2.asx

SPORTV BRASIL
http://tvacores.co.cc/asx/inter/sportv.asx

SPORTV 2 BR
http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/GetAsx.aspx?uid=0&contentID=1643

GLOBO RJ
http://tvacores.co.cc/asx/inter/globo_rj.asx

GLOBO SP
http://tvacores.co.cc/asx/inter/globo.asx

GLOBO NEWS
http://tvacores.co.cc/asx/inter/globo_news.asx

http://playervideo.globo.com/webmedia/GMCMidiaASX?midiaId=61910path=/tvglobo_globonews_wmbl_secureusuario=bbbbanda=Next.asx
publicado por sattotal às 15:19 | link do post
CANAIS PREMIUM


Band News
mms://tv.igmediacenter.ig.com.br/bandnews

BAND Sport
http://tvacores.co.cc/asx/inter/sportv2.asx

SPORTV BRASIL
http://tvacores.co.cc/asx/inter/sportv.asx

SPORTV 2 BR
http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/GetAsx.aspx?uid=0&contentID=1643

GLOBO RJ
http://tvacores.co.cc/asx/inter/globo_rj.asx

GLOBO SP
http://tvacores.co.cc/asx/inter/globo.asx

GLOBO NEWS
http://tvacores.co.cc/asx/inter/globo_news.asx

http://playervideo.globo.com/webmedia/GMCMidiaASX?midiaId=61910path=/tvglobo_globonews_wmbl_secureusuario=bbbbanda=Next.asx
publicado por sattotal às 15:19 | link do post
Um acordo entre a ESA, o Centro Espacial Krunichev e os Serviços de Lançamento Eurockot, a próxima missão de Exploração da Terra da ESA, SMOS, e o satélite Proba-2, serão lançados a 2 de Novembro de 2009.

A nova data substitui a inicialmente prevista de 9 de Setembro. Quer o satélite de estudo da hidratação dos solos e da salinidade dos oceanos (SMOS) quer o satélite Proba-2, o segundo projecto da ESA para uma missão autónoma a bordo, serão lançados em conjunto, num veículo de lançamento Rockot a partir do Cosmódromo de Plesetsk, a norte da Rússia. Este tipo de foguete foi o mesmo usado no lançamento do satélite GOCE, em Março deste ano.

O satélite SMOS está actualmente no sul de França, nas instalações da Thales Alenia Space. A fase mais importante de inspecção já foi realizada com sucesso, o que quer dizer que o satélite está pronto a ser enviado para o local de lançamento.
O Director de Projecto do SMOS, da ESA, Achim Hahne disse, «desde que a data de lançamento foi remarcada para Novembro, de forma a permitir um lançamento na Rússia, esperamos por Setembro para começar a campanha de lançemento, iniciando o envio do satélite e do equipamento de suporte para a Rússia. Apesar de o adiamento ser, de certo modo, uma decepção, a equipa está ansiosa pelo evento de Novembro.»



Ciclo da água na Terra
O SMOS, ou a Missão da Água, da ESA, tal como é conhecida, irá produzir observações globais da hidratação do solo em toda a massa terrestre e da salinidade dos oceanos. Através do uso de um inovador radiómetro interferométrico de nome MIRAS (Radiómetro de Imagens de Microondas usando Síntese de Abertura) desenvolvido pela EADS CASA Espacio, em Espanha, a missão SMOS irá fornecer mapas globais de hidratação do solo pelo menos a cada três dias e mapas da salinidade a cada trinta dias. Isto levará a uma melhor compreensão do ciclo da água, em particular, os processos de troca entre a superfície da Terra e a atmosfera. Os dados do SMOS irão ajudar a melhorar os modelos do clima e terão ainda aplicações práticas em áreas como a agricultura e a gestão dos recursos de água.



Proba-2
A ESA irá aproveitar o lançamento do SMOS para enviar também o Proba-2, um satélite muito pequeno e a segunda série dos modelos de baixo custo que estão a ser usados para validar novas tecnologias de naves espaciais, enquanto transportam instrumentos. Serve de teste para novas tecnologias e experiências de observação do Sol e de investigação do clima espacial.
publicado por sattotal às 12:45 | link do post
tags:
Um acordo entre a ESA, o Centro Espacial Krunichev e os Serviços de Lançamento Eurockot, a próxima missão de Exploração da Terra da ESA, SMOS, e o satélite Proba-2, serão lançados a 2 de Novembro de 2009.

A nova data substitui a inicialmente prevista de 9 de Setembro. Quer o satélite de estudo da hidratação dos solos e da salinidade dos oceanos (SMOS) quer o satélite Proba-2, o segundo projecto da ESA para uma missão autónoma a bordo, serão lançados em conjunto, num veículo de lançamento Rockot a partir do Cosmódromo de Plesetsk, a norte da Rússia. Este tipo de foguete foi o mesmo usado no lançamento do satélite GOCE, em Março deste ano.

O satélite SMOS está actualmente no sul de França, nas instalações da Thales Alenia Space. A fase mais importante de inspecção já foi realizada com sucesso, o que quer dizer que o satélite está pronto a ser enviado para o local de lançamento.
O Director de Projecto do SMOS, da ESA, Achim Hahne disse, «desde que a data de lançamento foi remarcada para Novembro, de forma a permitir um lançamento na Rússia, esperamos por Setembro para começar a campanha de lançemento, iniciando o envio do satélite e do equipamento de suporte para a Rússia. Apesar de o adiamento ser, de certo modo, uma decepção, a equipa está ansiosa pelo evento de Novembro.»



Ciclo da água na Terra
O SMOS, ou a Missão da Água, da ESA, tal como é conhecida, irá produzir observações globais da hidratação do solo em toda a massa terrestre e da salinidade dos oceanos. Através do uso de um inovador radiómetro interferométrico de nome MIRAS (Radiómetro de Imagens de Microondas usando Síntese de Abertura) desenvolvido pela EADS CASA Espacio, em Espanha, a missão SMOS irá fornecer mapas globais de hidratação do solo pelo menos a cada três dias e mapas da salinidade a cada trinta dias. Isto levará a uma melhor compreensão do ciclo da água, em particular, os processos de troca entre a superfície da Terra e a atmosfera. Os dados do SMOS irão ajudar a melhorar os modelos do clima e terão ainda aplicações práticas em áreas como a agricultura e a gestão dos recursos de água.



Proba-2
A ESA irá aproveitar o lançamento do SMOS para enviar também o Proba-2, um satélite muito pequeno e a segunda série dos modelos de baixo custo que estão a ser usados para validar novas tecnologias de naves espaciais, enquanto transportam instrumentos. Serve de teste para novas tecnologias e experiências de observação do Sol e de investigação do clima espacial.
publicado por sattotal às 12:45 | link do post
tags:
SÃO PAULO - A Agência Espacial Européia (ESA) divulgou nesta quarta-feira uma imagem obtida pelo telescópio Herschel da Galáxia Whirlpool. As imagens, tiradas nos dias 14 e 15 de junho, são apenas um 'primeiro ensaio', mas já demontram que dentro de um mês o telescópio infravermelho, o maior em órbita, vai estar pronto para operar em plena capacidade.

A galáxia Whirlpool, localizada cerca de 35 milhões de anos luz, na constelação de Canes Venatici, é o membro mais brilhante do Grupo M51, e possui uma galáxia companheira, denominada NGC 5195 ou M51B. A galáxia foi descoberta em 13 de outubro de 1773, por Charles Messier.

Os satélites europeus de observação astronômica Planck e Herschel, destinados a investigar a origem do universo, foram lançados no dia 14 de maio ao espaço a bordo de um foguete Ariane-5 da base de Kuru, na Guiana francesa.

Tanto o Planck como o Herschel, construídos por Thales Alenia Sapace e a Agência Espacial Européia (ESA), descreverão órbitas elípticas e suas missões estão dentro do programa da ESA. O satélite Herschel, de 7 metros de altura e 4,3 metros de largura, receberá radiações infravermelhas de grande amplitude de onda emitidas por alguns dos objetos mais frios e distantes do Universo, onde existem estrelas e galáxias em formação.

Os dois satélites deveriam ter sido colocados em órbita em 2007, mas o lançamento acabou atrasado por dois anos.
publicado por sattotal às 12:42 | link do post
tags:
SÃO PAULO - A Agência Espacial Européia (ESA) divulgou nesta quarta-feira uma imagem obtida pelo telescópio Herschel da Galáxia Whirlpool. As imagens, tiradas nos dias 14 e 15 de junho, são apenas um 'primeiro ensaio', mas já demontram que dentro de um mês o telescópio infravermelho, o maior em órbita, vai estar pronto para operar em plena capacidade.

A galáxia Whirlpool, localizada cerca de 35 milhões de anos luz, na constelação de Canes Venatici, é o membro mais brilhante do Grupo M51, e possui uma galáxia companheira, denominada NGC 5195 ou M51B. A galáxia foi descoberta em 13 de outubro de 1773, por Charles Messier.

Os satélites europeus de observação astronômica Planck e Herschel, destinados a investigar a origem do universo, foram lançados no dia 14 de maio ao espaço a bordo de um foguete Ariane-5 da base de Kuru, na Guiana francesa.

Tanto o Planck como o Herschel, construídos por Thales Alenia Sapace e a Agência Espacial Européia (ESA), descreverão órbitas elípticas e suas missões estão dentro do programa da ESA. O satélite Herschel, de 7 metros de altura e 4,3 metros de largura, receberá radiações infravermelhas de grande amplitude de onda emitidas por alguns dos objetos mais frios e distantes do Universo, onde existem estrelas e galáxias em formação.

Os dois satélites deveriam ter sido colocados em órbita em 2007, mas o lançamento acabou atrasado por dois anos.
publicado por sattotal às 12:42 | link do post
tags:
ROMA, sexta-feira, 26 de junho
Está em órbita o satélite Planck, da Agência Espacial Europeia (ESA), uma espécie de máquina do tempo que tem como objetivo recolher dados sobre a longa história do universo.

Um dos cientistas que participa deste projeto, o professor de astrofísica da Universidade de Milão Marco Bersanelli, explicou seus detalhes em uma conferência na escola de verão do Observatório Vaticano.

O curso celebrou-se de 21 a 26 de junho no Instituto Carmelo, em Sassone, próximo a Roma, informa L'Osservatore Romano em sua edição diária em língua italiana desta sexta-feira.

“Luz e história, no sentido literal, são também as coordenadas sobre as quais se move a pesquisa mais avançada da astrofísica”, afirmou.

“A luz precisa de tempo para chegar ao observador, e quando chega ao destino, dá-lhe uma imagem instantânea do passado –explicou. Olhando para grandes distâncias, podemos nos remontar atrás no tempo”.

Bersanelli é cientista de instrumentos do Planck-LFI, um dos dois olhos do satélite Planck, lançado ao espaço no foguete Ariane 5 no dia 14 de maio para recolher dados sobre a geometria, composição e evolução do universo.

O cientista explicou que Planck não é só um satélite, mas também, em certo sentido, uma máquina do tempo.

Este satélite tem como objetivo “fotografar o primeiro alento do universo para decifrar as frágeis ondulações na intensidade e na polarização do fundo cósmico”, explicou.

Segundo a ESA, Planck é o primeiro observatório espacial europeu cujo principal objetivo é o estudo do Fundo Cósmico em Microondas –a relíquia da radiação do Big Bang–, com uma precisão definida pelos limites da astrofísica fundamental.

Em sua conferência, intitulada “Beleza e imensidão do cosmos”, o professor Bersanelli destacou que a pessoa humana vem do mistério e acrescentou que a ciência não é inimiga do sentido do mistério.

“Que temos em comum com aqueles distantes oceanos do espaço e do tempo; talvez venhamos do mesmo bom gesto do Mistério”, comentou o cientista.

“Depois de Deus e do firmamento, Clara”, dizia há oitocentos anos São Francisco, vendo brilhar o esplendor do Criador tanto no céu estrelado como na pessoa mais amada.

“Aprofundar o conhecimento não elimina a possibilidade de assombrar-se, mas a alenta –disse, citando o célebre físico Richard Feynman. Não prejudica o mistério saber algo, porque a realidade é muito mais bonita que tudo que os artistas puderam imaginar”.

Por sua parte, o diretor emérito do Observatório Astronômico Vaticano, padre George Coyne, explicou em sua intervenção que a humanidade entrou no universo após uma longa história.

“Se a idade do universo se reduzisse à escala de um ano, os dinossauros apareceriam no final de dezembro, o homem apareceria no último dia do ano, e Galileu surgiria nos últimos dois segundos”, indicou.

“Podemos dizer que há uma contínua transformação de energia em forma cada vez mais complexa de matéria –assinalou, destacando a ‘fertilidade’ de tudo o que existe. Somos filhos de três gerações de estrelas”, afirmou.

E acrescentou: “nosso material químico está composto por resíduos termonucleares resultantes de um processo contínuo de transformação da energia do universo em forma cada vez mais complexa de matéria”.

Também interveio no curso o presidente do Conselho Pontifício da Cultura, o arcebispo Gianfranco Ravasi, que traçou as principais características da cosmologia bíblica.

Dom Ravasi explicou que a Bíblia “democratiza” a relação com o cosmos –exclusiva do rei na tradição babilônica–, supera o panteísmo, distinguindo o criador da criatura, e privilegia a dimensão histórica, temporal, sobre a espacial.

Para o arcebispo, o argumento do “desenho inteligente” e da criação do nada se podem traçar no tecido simbólico do texto e em complexa numerologia oculta no livro do Gênesis, baseada no sete, número da perfeição, e seus múltiplos.

Neste sentido, a criação do homem no sexto dia sugere sua finitude, superável no “sétimo dia” da relação com Deus.

Dom Ravasi também diferenciou as concepções do cosmos bíblicas, que têm em conta a existência de Deus mais além do cosmos, e mesopotâmicas, que, segundo aparece no poema Enuma Elish, ao dizer “in alto” refere-se a “ao início” (íncipit).

Sobre essa questão, afirmou que “cosmologia e cosmogonia não são sinônimos”. A escola de verão de astrofísica organizada pelo Observatório do Vaticano, a Super Voss, representa uma possibilidade concreta de diálogo entre culturas e também de despertar o gosto pela ciência.

Também uma ocasião para se perguntar sobre o paradoxo da condição humana, parcela muito pequena, mas ponto de consciência do universo.
publicado por sattotal às 12:38 | link do post
tags:
ROMA, sexta-feira, 26 de junho
Está em órbita o satélite Planck, da Agência Espacial Europeia (ESA), uma espécie de máquina do tempo que tem como objetivo recolher dados sobre a longa história do universo.

Um dos cientistas que participa deste projeto, o professor de astrofísica da Universidade de Milão Marco Bersanelli, explicou seus detalhes em uma conferência na escola de verão do Observatório Vaticano.

O curso celebrou-se de 21 a 26 de junho no Instituto Carmelo, em Sassone, próximo a Roma, informa L'Osservatore Romano em sua edição diária em língua italiana desta sexta-feira.

“Luz e história, no sentido literal, são também as coordenadas sobre as quais se move a pesquisa mais avançada da astrofísica”, afirmou.

“A luz precisa de tempo para chegar ao observador, e quando chega ao destino, dá-lhe uma imagem instantânea do passado –explicou. Olhando para grandes distâncias, podemos nos remontar atrás no tempo”.

Bersanelli é cientista de instrumentos do Planck-LFI, um dos dois olhos do satélite Planck, lançado ao espaço no foguete Ariane 5 no dia 14 de maio para recolher dados sobre a geometria, composição e evolução do universo.

O cientista explicou que Planck não é só um satélite, mas também, em certo sentido, uma máquina do tempo.

Este satélite tem como objetivo “fotografar o primeiro alento do universo para decifrar as frágeis ondulações na intensidade e na polarização do fundo cósmico”, explicou.

Segundo a ESA, Planck é o primeiro observatório espacial europeu cujo principal objetivo é o estudo do Fundo Cósmico em Microondas –a relíquia da radiação do Big Bang–, com uma precisão definida pelos limites da astrofísica fundamental.

Em sua conferência, intitulada “Beleza e imensidão do cosmos”, o professor Bersanelli destacou que a pessoa humana vem do mistério e acrescentou que a ciência não é inimiga do sentido do mistério.

“Que temos em comum com aqueles distantes oceanos do espaço e do tempo; talvez venhamos do mesmo bom gesto do Mistério”, comentou o cientista.

“Depois de Deus e do firmamento, Clara”, dizia há oitocentos anos São Francisco, vendo brilhar o esplendor do Criador tanto no céu estrelado como na pessoa mais amada.

“Aprofundar o conhecimento não elimina a possibilidade de assombrar-se, mas a alenta –disse, citando o célebre físico Richard Feynman. Não prejudica o mistério saber algo, porque a realidade é muito mais bonita que tudo que os artistas puderam imaginar”.

Por sua parte, o diretor emérito do Observatório Astronômico Vaticano, padre George Coyne, explicou em sua intervenção que a humanidade entrou no universo após uma longa história.

“Se a idade do universo se reduzisse à escala de um ano, os dinossauros apareceriam no final de dezembro, o homem apareceria no último dia do ano, e Galileu surgiria nos últimos dois segundos”, indicou.

“Podemos dizer que há uma contínua transformação de energia em forma cada vez mais complexa de matéria –assinalou, destacando a ‘fertilidade’ de tudo o que existe. Somos filhos de três gerações de estrelas”, afirmou.

E acrescentou: “nosso material químico está composto por resíduos termonucleares resultantes de um processo contínuo de transformação da energia do universo em forma cada vez mais complexa de matéria”.

Também interveio no curso o presidente do Conselho Pontifício da Cultura, o arcebispo Gianfranco Ravasi, que traçou as principais características da cosmologia bíblica.

Dom Ravasi explicou que a Bíblia “democratiza” a relação com o cosmos –exclusiva do rei na tradição babilônica–, supera o panteísmo, distinguindo o criador da criatura, e privilegia a dimensão histórica, temporal, sobre a espacial.

Para o arcebispo, o argumento do “desenho inteligente” e da criação do nada se podem traçar no tecido simbólico do texto e em complexa numerologia oculta no livro do Gênesis, baseada no sete, número da perfeição, e seus múltiplos.

Neste sentido, a criação do homem no sexto dia sugere sua finitude, superável no “sétimo dia” da relação com Deus.

Dom Ravasi também diferenciou as concepções do cosmos bíblicas, que têm em conta a existência de Deus mais além do cosmos, e mesopotâmicas, que, segundo aparece no poema Enuma Elish, ao dizer “in alto” refere-se a “ao início” (íncipit).

Sobre essa questão, afirmou que “cosmologia e cosmogonia não são sinônimos”. A escola de verão de astrofísica organizada pelo Observatório do Vaticano, a Super Voss, representa uma possibilidade concreta de diálogo entre culturas e também de despertar o gosto pela ciência.

Também uma ocasião para se perguntar sobre o paradoxo da condição humana, parcela muito pequena, mas ponto de consciência do universo.
publicado por sattotal às 12:38 | link do post
tags:

publicado por sattotal às 11:49 | link do post
tags: ,

publicado por sattotal às 11:49 | link do post
tags: ,

publicado por sattotal às 11:43 | link do post
tags:

publicado por sattotal às 11:43 | link do post
tags:
A novela da Globo, Caminho das Índias, como todo leitor bem informado, culto e esperto do Blog, que não se imagina ficar em frente à televisão por seis sete meses para ver o final, não vou deixar você na mão, veja abaixo o caminho das índias e nem ligue a TV após o Jornal Nacional.
.
publicado por sattotal às 11:37 | link do post
tags:
A novela da Globo, Caminho das Índias, como todo leitor bem informado, culto e esperto do Blog, que não se imagina ficar em frente à televisão por seis sete meses para ver o final, não vou deixar você na mão, veja abaixo o caminho das índias e nem ligue a TV após o Jornal Nacional.
.
publicado por sattotal às 11:37 | link do post
tags:
publicado por sattotal às 11:34 | link do post
tags:
publicado por sattotal às 11:34 | link do post
tags:
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
15
19
25
26
30
comentários recentes
Sereia linda e deliciosa Ana Hickmann, te amo
Deusa linda que amo demais Ana Hickmann
Te amarei enternamente Ana Hickmann
Diva, musa, sereia linda Ana Hickmann, te amo dema...
Está fixe :-)
Faltou indicar os créditos desse artigo. A fonte o...
Excelente artigo, gostei da abordagem. Visite o me...
Em que decodificador?
Porque está emissora só tem programa de merda não ...
Bom dia, por favor tire as listas soapcast que não...
subscrever feeds
SAPO Blogs