Uma das peças fundamentais no bom desempenho de um computador é a memória RAM. Mas você sabe qual a importância dela para o sistema? Qual a quantidade ideal que você deve instalar? Como escolher na hora da compra? A coluna de hoje traz respostas a essas perguntas.



O que é memória RAM

A sigla RAM vem de Random Access Memory, que em português significa “memória de acesso randômico” (aleatório). Na memória RAM os dados não são armazenados de forma seqüencial. Isso permite um ganho de desempenho, pois o sistema operacional não precisa se preocupar com a ordem dos dados, apenas com a posição deles.

A memória RAM é usada pelo sistema operacional e pelos softwares para carregar os arquivos e efetivamente usá-los. Ela armazena os programas e dados que estão sendo usados em determinado momento pelo computador. Enquanto você lê este texto, por exemplo, seu navegador de internet usa uma parcela da memória RAM de seu computador. Ao fechar o programa, a memória que estava sendo usada fica disponível para outros aplicativos. Ou seja: a RAM é volátil, pois armazena o conteúdo enquanto a informação em questão estiver em uso.

Importância da memória RAM

Um computador com pouca memória, ou memória de qualidade ruim, pode ter o desempenho comprometido, principalmente no uso de aplicativos mais pesados e jogos.

Cada programa consome certa quantidade de memória RAM. O Word, por exemplo, consome cerca de 99 MB; o MSN usa cerca de 50 MB, e o Windows Media Player consome 30 MB. Os navegadores usam cerca de 30 MB, mas aumentam o consumo quando você abre novas abas ou janelas.

Os sistemas operacionais têm um recurso usado para aliviar o consumo da RAM. Trata-se da memória virtual, que usa um espaço no HD (disco rígido) para armazenamento temporário de arquivos e programas. A memória virtual é útil, mas lenta. Para conhecer mais e entender como ela funciona, recomendo a leitura desta coluna, em que falei bastante sobre o assunto, e também esta outra, em que apresento meios de melhorar o desempenho de computadores populares.

O desempenho do PC começa a ser afetado quando a memória RAM chega ao seu limite – então, o sistema operacional passa a usar a memória virtual. Nesse momento, é perceptível um aumento no uso do HD, identificado pelo led presente no gabinete do computador (ele passa a piscar de forma mais intensa). É comum que, nesse momento, as telas fiquem momentaneamente congeladas, dificultando as atividades. Nesses casos, é recomendado é fechar alguns programas para reduzir o consumo de memória e até mesmo reiniciar o sistema.

Quantidade de memória

A máxima "quanto mais, melhor" se aplica neste caso. Mas como nem sempre essa filosofia pode ser colocada em prática (principalmente por conta dos gastos ou limitações citadas abaixo), vou dar dicas relacionadas aos diferentes perfis de usuários de tecnologia.

Antes disso, é importante conhecer algumas limitações no uso desse tipo de memória. O Windows XP de 32 bits, usado pela maioria das pessoas, tem um limite de 3GB de RAM. Para que o sistema reconheça mais que isso, é necessário usar o Windows XP 64 bits, desde que o processador tenha este mesmo barramento, ou o Vista, que também trabalha com esse valor de 64 bits. O Linux reconhece mais de 3 GB, mediante a configurações.

Computador no trabalho - uso básico
Para quem usa editores de textos, apresentações, planilhas eletrônicas e internet corporativa, recomendo 1 GB, caso o computador tenha o sistema operacional Windows XP ou Linux. Se a máquina rodar Windows Vista, o ideal é de 1 GB a 2 GB.

Computador no trabalho - uso intenso
Muitos profissionais usam suas máquinas para rodar programas de editoração eletrônica, de design, para trabalhar com grandes massas de dados em planilhas eletrônicas ou bancos de dados locais. Nesses casos, recomendo pelo menos 2 GB de RAM no Windows XP e Linux. Se a máquina rodar Windows Vista, o ideal é 3 GB.

Computador doméstico - uso básico



A regra aqui é a mesma para aqueles que fazem uso básico na máquina do trabalho (editores de textos, apresentações, planilhas eletrônicas e internet): 1 GB no caso do Windows XP ou Linux, de 1 GB a 2 GB no caso do Windows Vista.

Computador doméstico - uso intenso
Para quem quer o máximo em desempenho, jogar os games mais avançados e trabalhar com sobra de hardware, recomendo pelo menos 3 GB no Windows XP e Linux e pelo menos 4 GB no Windows Vista.

Tipos de memória

O formato da memória RAM é determinado pelo fabricante da placa-mãe, sendo que cada placa aceita apenas um tipo de memória. Claro que esses formatos são padronizados pelo mercado e variam na capacidade de armazenamento, velocidade de acesso e tipo de slot que podem ser encaixados. Num passado recente, existiam formatos como DRAM, SDRAM, RDRAM e outras, mas atualmente o formato mais usado é o DDR e suas evoluções DDR2 e DDR3 (veja detalhes abaixo).


Para saber mais detalhes da placa-mãe na hora da compra, pergunte ao vendedor o tipo de memória suportada (DDR2, DDR3, etc) e quantos slots -- local na placa-mãe onde ficam os pentes de memória -- disponíveis existem. Essas informações são muito importantes na hora de fazer o upgrade da máquina.

Assim como acontece nos processadores, em que a freqüência determina a velocidade de processamento das informações, a freqüência também é importante na RAM: neste caso, ela determina a velocidade com que o dados são trocados entre a memória e os demais dispositivos como processador, disco rígido, etc.

Fique atento às faixas de freqüência da memória que a placa-mãe suporta e também a freqüência das memórias que estão sendo adquiridas ou já estão no PC. Qualquer atualização requer memórias de mesmo formato e freqüência.



É comum em computadores mais antigos -- atualmente, não são mais fabricadas placas com este formato de memória. Elas têm freqüências que vão de 100 MHz até 400 MHz e seus módulos (nomenclatura que identifica formatos e freqüências, facilitando localizar qual memória comprar) são: PC1600, PC2100, PC2400, PC2700 e PC3200.

Formato DDR2
É o padrão mais usado atualmente. O DDR2 é uma evolução do DDR, e proporciona leituras mais rápidas, facilitando o tráfego de dados. A freqüência varia de 400 MHz até 1066 MHz e os módulos são: PC2-3200, PC2-4200, PC2-5300, PC2-6400 e PC2-8500.

Formato DDR3
Os PCs mais poderosos do mercado contêm esse formato. Ele visa o alto desempenho por trabalhar com freqüências mais elevadas e é uma das tecnologias mais modernas. A freqüência varia de 800 MHz até 1600 MHz e os módulos são: PC3-6400, PC3-8500, PC3-10600 e PC3-12800.

Quantidade de memória em uso



Um programa bom para ver o tipo de memória utilizado no seu computador é o CPU-Z 1.48. Ele mostra uma visão geral, com o tipo (formato), quantidade de memória total do computador e freqüência. Além disso, permite que o usuário veja slot a slot -- no PC usado no teste, existem 4 slots e dois deles estão ocupados. Esse programa é ideal para ver o os dados na hora de realizar o upgrade da sua máquina.



Pentes

As placas de memória RAM são popularmente conhecidas como pentes. Cada pente tem uma capacidade, medida em Megabytes (MB).


Recomenda-se sempre termos no PC pentes de mesma freqüência, formato e capacidade. Um exemplo: para termos 4 GB de memória, podemos ter 4 pentes de 1 GB ou 2 pentes de 2 GB.



Se a placa-mãe tiver o recurso "dual channel", você pode acelerar a velocidade de processamento das informações. Para isso, deve usar dois pentes iguais. Dessa forma, a troca de informações entre processador e memória RAM será agilizada, já que os dois pentes serão lidos ao mesmo tempo - ao contrário de placas-mãe sem dual channel.



Marcas

A marca da memória RAM faz diferença na hora da compra. As chamadas genéricas são mais baratas, porém menos confiáveis. Computadores de alto desempenho e de uso em missão crítica jamais devem usar alternativas genéricas. As principais marcas do mercado são: Corsair, Kingston e Samsung.

publicado por sattotal às 01:03 | link do post


Uma das peças fundamentais no bom desempenho de um computador é a memória RAM. Mas você sabe qual a importância dela para o sistema? Qual a quantidade ideal que você deve instalar? Como escolher na hora da compra? A coluna de hoje traz respostas a essas perguntas.



O que é memória RAM

A sigla RAM vem de Random Access Memory, que em português significa “memória de acesso randômico” (aleatório). Na memória RAM os dados não são armazenados de forma seqüencial. Isso permite um ganho de desempenho, pois o sistema operacional não precisa se preocupar com a ordem dos dados, apenas com a posição deles.

A memória RAM é usada pelo sistema operacional e pelos softwares para carregar os arquivos e efetivamente usá-los. Ela armazena os programas e dados que estão sendo usados em determinado momento pelo computador. Enquanto você lê este texto, por exemplo, seu navegador de internet usa uma parcela da memória RAM de seu computador. Ao fechar o programa, a memória que estava sendo usada fica disponível para outros aplicativos. Ou seja: a RAM é volátil, pois armazena o conteúdo enquanto a informação em questão estiver em uso.

Importância da memória RAM

Um computador com pouca memória, ou memória de qualidade ruim, pode ter o desempenho comprometido, principalmente no uso de aplicativos mais pesados e jogos.

Cada programa consome certa quantidade de memória RAM. O Word, por exemplo, consome cerca de 99 MB; o MSN usa cerca de 50 MB, e o Windows Media Player consome 30 MB. Os navegadores usam cerca de 30 MB, mas aumentam o consumo quando você abre novas abas ou janelas.

Os sistemas operacionais têm um recurso usado para aliviar o consumo da RAM. Trata-se da memória virtual, que usa um espaço no HD (disco rígido) para armazenamento temporário de arquivos e programas. A memória virtual é útil, mas lenta. Para conhecer mais e entender como ela funciona, recomendo a leitura desta coluna, em que falei bastante sobre o assunto, e também esta outra, em que apresento meios de melhorar o desempenho de computadores populares.

O desempenho do PC começa a ser afetado quando a memória RAM chega ao seu limite – então, o sistema operacional passa a usar a memória virtual. Nesse momento, é perceptível um aumento no uso do HD, identificado pelo led presente no gabinete do computador (ele passa a piscar de forma mais intensa). É comum que, nesse momento, as telas fiquem momentaneamente congeladas, dificultando as atividades. Nesses casos, é recomendado é fechar alguns programas para reduzir o consumo de memória e até mesmo reiniciar o sistema.

Quantidade de memória

A máxima "quanto mais, melhor" se aplica neste caso. Mas como nem sempre essa filosofia pode ser colocada em prática (principalmente por conta dos gastos ou limitações citadas abaixo), vou dar dicas relacionadas aos diferentes perfis de usuários de tecnologia.

Antes disso, é importante conhecer algumas limitações no uso desse tipo de memória. O Windows XP de 32 bits, usado pela maioria das pessoas, tem um limite de 3GB de RAM. Para que o sistema reconheça mais que isso, é necessário usar o Windows XP 64 bits, desde que o processador tenha este mesmo barramento, ou o Vista, que também trabalha com esse valor de 64 bits. O Linux reconhece mais de 3 GB, mediante a configurações.

Computador no trabalho - uso básico
Para quem usa editores de textos, apresentações, planilhas eletrônicas e internet corporativa, recomendo 1 GB, caso o computador tenha o sistema operacional Windows XP ou Linux. Se a máquina rodar Windows Vista, o ideal é de 1 GB a 2 GB.

Computador no trabalho - uso intenso
Muitos profissionais usam suas máquinas para rodar programas de editoração eletrônica, de design, para trabalhar com grandes massas de dados em planilhas eletrônicas ou bancos de dados locais. Nesses casos, recomendo pelo menos 2 GB de RAM no Windows XP e Linux. Se a máquina rodar Windows Vista, o ideal é 3 GB.

Computador doméstico - uso básico



A regra aqui é a mesma para aqueles que fazem uso básico na máquina do trabalho (editores de textos, apresentações, planilhas eletrônicas e internet): 1 GB no caso do Windows XP ou Linux, de 1 GB a 2 GB no caso do Windows Vista.

Computador doméstico - uso intenso
Para quem quer o máximo em desempenho, jogar os games mais avançados e trabalhar com sobra de hardware, recomendo pelo menos 3 GB no Windows XP e Linux e pelo menos 4 GB no Windows Vista.

Tipos de memória

O formato da memória RAM é determinado pelo fabricante da placa-mãe, sendo que cada placa aceita apenas um tipo de memória. Claro que esses formatos são padronizados pelo mercado e variam na capacidade de armazenamento, velocidade de acesso e tipo de slot que podem ser encaixados. Num passado recente, existiam formatos como DRAM, SDRAM, RDRAM e outras, mas atualmente o formato mais usado é o DDR e suas evoluções DDR2 e DDR3 (veja detalhes abaixo).


Para saber mais detalhes da placa-mãe na hora da compra, pergunte ao vendedor o tipo de memória suportada (DDR2, DDR3, etc) e quantos slots -- local na placa-mãe onde ficam os pentes de memória -- disponíveis existem. Essas informações são muito importantes na hora de fazer o upgrade da máquina.

Assim como acontece nos processadores, em que a freqüência determina a velocidade de processamento das informações, a freqüência também é importante na RAM: neste caso, ela determina a velocidade com que o dados são trocados entre a memória e os demais dispositivos como processador, disco rígido, etc.

Fique atento às faixas de freqüência da memória que a placa-mãe suporta e também a freqüência das memórias que estão sendo adquiridas ou já estão no PC. Qualquer atualização requer memórias de mesmo formato e freqüência.



É comum em computadores mais antigos -- atualmente, não são mais fabricadas placas com este formato de memória. Elas têm freqüências que vão de 100 MHz até 400 MHz e seus módulos (nomenclatura que identifica formatos e freqüências, facilitando localizar qual memória comprar) são: PC1600, PC2100, PC2400, PC2700 e PC3200.

Formato DDR2
É o padrão mais usado atualmente. O DDR2 é uma evolução do DDR, e proporciona leituras mais rápidas, facilitando o tráfego de dados. A freqüência varia de 400 MHz até 1066 MHz e os módulos são: PC2-3200, PC2-4200, PC2-5300, PC2-6400 e PC2-8500.

Formato DDR3
Os PCs mais poderosos do mercado contêm esse formato. Ele visa o alto desempenho por trabalhar com freqüências mais elevadas e é uma das tecnologias mais modernas. A freqüência varia de 800 MHz até 1600 MHz e os módulos são: PC3-6400, PC3-8500, PC3-10600 e PC3-12800.

Quantidade de memória em uso



Um programa bom para ver o tipo de memória utilizado no seu computador é o CPU-Z 1.48. Ele mostra uma visão geral, com o tipo (formato), quantidade de memória total do computador e freqüência. Além disso, permite que o usuário veja slot a slot -- no PC usado no teste, existem 4 slots e dois deles estão ocupados. Esse programa é ideal para ver o os dados na hora de realizar o upgrade da sua máquina.



Pentes

As placas de memória RAM são popularmente conhecidas como pentes. Cada pente tem uma capacidade, medida em Megabytes (MB).


Recomenda-se sempre termos no PC pentes de mesma freqüência, formato e capacidade. Um exemplo: para termos 4 GB de memória, podemos ter 4 pentes de 1 GB ou 2 pentes de 2 GB.



Se a placa-mãe tiver o recurso "dual channel", você pode acelerar a velocidade de processamento das informações. Para isso, deve usar dois pentes iguais. Dessa forma, a troca de informações entre processador e memória RAM será agilizada, já que os dois pentes serão lidos ao mesmo tempo - ao contrário de placas-mãe sem dual channel.



Marcas

A marca da memória RAM faz diferença na hora da compra. As chamadas genéricas são mais baratas, porém menos confiáveis. Computadores de alto desempenho e de uso em missão crítica jamais devem usar alternativas genéricas. As principais marcas do mercado são: Corsair, Kingston e Samsung.

publicado por sattotal às 01:03 | link do post
Manifestantes utilizam sites e selos de protesto no Twitter.
Críticos dizem que o navegador da Microsoft é um atraso para a internet.





Se você está lendo este texto no navegador Internet Explorer 6, saiba que a internet está contra você.



Web designers, programadores e especialistas em internet estão se reunindo em grupos de protesto pedindo o fim da versão 6.0 do navegador da Microsoft. O IE 6 foi lançado em 2001, e é considerado tecnicamente ultrapassado.



"Trabalhar com o IE 6 é uma das tarefas mais difíceis e frustrantes que um desenvolvedor web pode encontrar", diz o site "IE 6 no more". O grupo disponibiliza um código que sites podem copiar em suas páginas para aderir à campanha. Atualmente, mais de 70 "parceiros" já se alistaram na missão.



Quando um usuário de IE 6 visita um dos sites participantes, recebe uma mensagem de alerta e sugestões de navegadores mais atuais. "Você está utilizando um navegador desatualizado. Para uma melhor experiência, mude para um navegador mais atual", diz a mensagem.



Um dos sites que anunciaram fim do suporte ao IE6 é o YouTube, que também traz mensagens de alerta e sugere outros navegadores.



Em resposta ao site da CNN, a Microsoft diz que incentiva a migração dos usuários. "A Microsoft recomenda claramente que os consumidores façam a atualização para a versão mais recente de nosso navegador", disse a companhia, referindo-se ao Internet Explorer 8. "Segundo órgãos que monitoram tráfego na web, o IE 6 tem presença de 15% a 20% entre os usuários.





Campanha em andamento

Os protestos começaram há cerca de três meses, com o "Bring down IE 6". "O Internet Explorer é antiquado, não tem suporte aos padrões fundamentais da web e deve ser abandonado", diz o manifesto do site. O grupo responsável tem artigos sobre o assunto, oferece selos de campanha, atua no Twitter e deixa claro que não se trata de um manifesto contra a Microsoft.



"Não é um protesto anti-Microsoft, é uma ação para incentivar as pessoas a migrarem para navegadores modernos, como o IE 8, Firefox, Chrome, Safari e Opera", diz o texto.
publicado por sattotal às 00:53 | link do post
tags:
Manifestantes utilizam sites e selos de protesto no Twitter.
Críticos dizem que o navegador da Microsoft é um atraso para a internet.





Se você está lendo este texto no navegador Internet Explorer 6, saiba que a internet está contra você.



Web designers, programadores e especialistas em internet estão se reunindo em grupos de protesto pedindo o fim da versão 6.0 do navegador da Microsoft. O IE 6 foi lançado em 2001, e é considerado tecnicamente ultrapassado.



"Trabalhar com o IE 6 é uma das tarefas mais difíceis e frustrantes que um desenvolvedor web pode encontrar", diz o site "IE 6 no more". O grupo disponibiliza um código que sites podem copiar em suas páginas para aderir à campanha. Atualmente, mais de 70 "parceiros" já se alistaram na missão.



Quando um usuário de IE 6 visita um dos sites participantes, recebe uma mensagem de alerta e sugestões de navegadores mais atuais. "Você está utilizando um navegador desatualizado. Para uma melhor experiência, mude para um navegador mais atual", diz a mensagem.



Um dos sites que anunciaram fim do suporte ao IE6 é o YouTube, que também traz mensagens de alerta e sugere outros navegadores.



Em resposta ao site da CNN, a Microsoft diz que incentiva a migração dos usuários. "A Microsoft recomenda claramente que os consumidores façam a atualização para a versão mais recente de nosso navegador", disse a companhia, referindo-se ao Internet Explorer 8. "Segundo órgãos que monitoram tráfego na web, o IE 6 tem presença de 15% a 20% entre os usuários.





Campanha em andamento

Os protestos começaram há cerca de três meses, com o "Bring down IE 6". "O Internet Explorer é antiquado, não tem suporte aos padrões fundamentais da web e deve ser abandonado", diz o manifesto do site. O grupo responsável tem artigos sobre o assunto, oferece selos de campanha, atua no Twitter e deixa claro que não se trata de um manifesto contra a Microsoft.



"Não é um protesto anti-Microsoft, é uma ação para incentivar as pessoas a migrarem para navegadores modernos, como o IE 8, Firefox, Chrome, Safari e Opera", diz o texto.
publicado por sattotal às 00:53 | link do post
tags:

O sapo chegou a Angola há um ano. Durante este período de internacionalização muitas metas foram alcançadas. Hoje realça-se o reforço das parcerias locais e o desenvolvimento de novos conteúdos locais de entretenimento com o lançamento de quatro novos canais no Sapo Angola.


O lançamento do portal de internet Sapo Angola -
www.sapo.ao, a 29 de Julho de 2008, teve como principal objectivo ser um portal agregador de conteúdos locais que servisse de ponto de encontro da comunidade angolana em qualquer local do mundo. Resultado da parceria estabelecida pela Portugal com os operadores de telecomunicações de Angola – Unitel, Movicel, Angola Telecom, TV Cabo Angola, MS Telcom e Multitel – o Sapo Angola transformou-se, em menos de um ano, no portal líder de audiências na internet e uma referência e porta de entrada para a maioria dos internautas angolanos.


Com mais de um milhão de pageviews e 100 mil visitantes únicos mensais e um crescimento de 150 por cento na audiência face ao primeiro mês de actividade, o portal sapo.ao tem vindo a desenvolver inúmeras áreas e canais temáticos, que vão ao encontro dos interesses e curiosidades dos cibernautas angolanos, tais como notícias, blogs, vídeos, fotos, mail, messenger, e pesquisa. Depois do lançamento do Sapo Kids (http://kids.sapo.ao), são reforçadas as parcerias locais e desenvolvem-se novos conteúdos de entretenimento que respondam à procura dos utilizadores.

Os quatro canais hoje apresentados são reflexo da aposta em conteúdos de gastronomia, lazer e música. Pretende-se ainda disponibilizar mais uma ferramenta que permitirá a qualquer pessoa ou empresa ter a sua presença online, através do Sites.


Os quatro novos canais no Sapo Angola:


• Sapo Sabores (http://sabores.sapo.ao) – site com informação actualizada de restaurantes, receitas e vídeos sobre a gastronomia Angolana;


• Sapo Astral (http://astrologia.sapo.ao) – canal com conteúdos de entretenimento, com foco nas previsões e características de cada signo;


• Palco Principal (http://palcoprincipal.sapo.ao) – portal dedicado aos ritmos de Angola. Tem como objectivo reunir toda a comunidade musical Angolana, para que estes possam comunicar entre si e ver os seus trabalhos divulgados, não só em Angola, como além fronteiras e na comunidade lusófona, nomeadamente Portugal e Brasil onde o portal também está presente;



• Sites SAPO (http://sites.sapo.ao) – é uma ferramenta online para a criação de “Micro-Sites” em Angola, disponíveis na web e no telemóvel, em poucos minutos e sem ser necessário saber HTML para colocar o site online. O acesso ao Sites Sapo é gratuito e permite a integração com as plataformas de vídeos, fotos e blogs do Sapo Angola.
publicado por sattotal às 00:08 | link do post

O sapo chegou a Angola há um ano. Durante este período de internacionalização muitas metas foram alcançadas. Hoje realça-se o reforço das parcerias locais e o desenvolvimento de novos conteúdos locais de entretenimento com o lançamento de quatro novos canais no Sapo Angola.


O lançamento do portal de internet Sapo Angola -
www.sapo.ao, a 29 de Julho de 2008, teve como principal objectivo ser um portal agregador de conteúdos locais que servisse de ponto de encontro da comunidade angolana em qualquer local do mundo. Resultado da parceria estabelecida pela Portugal com os operadores de telecomunicações de Angola – Unitel, Movicel, Angola Telecom, TV Cabo Angola, MS Telcom e Multitel – o Sapo Angola transformou-se, em menos de um ano, no portal líder de audiências na internet e uma referência e porta de entrada para a maioria dos internautas angolanos.


Com mais de um milhão de pageviews e 100 mil visitantes únicos mensais e um crescimento de 150 por cento na audiência face ao primeiro mês de actividade, o portal sapo.ao tem vindo a desenvolver inúmeras áreas e canais temáticos, que vão ao encontro dos interesses e curiosidades dos cibernautas angolanos, tais como notícias, blogs, vídeos, fotos, mail, messenger, e pesquisa. Depois do lançamento do Sapo Kids (http://kids.sapo.ao), são reforçadas as parcerias locais e desenvolvem-se novos conteúdos de entretenimento que respondam à procura dos utilizadores.

Os quatro canais hoje apresentados são reflexo da aposta em conteúdos de gastronomia, lazer e música. Pretende-se ainda disponibilizar mais uma ferramenta que permitirá a qualquer pessoa ou empresa ter a sua presença online, através do Sites.


Os quatro novos canais no Sapo Angola:


• Sapo Sabores (http://sabores.sapo.ao) – site com informação actualizada de restaurantes, receitas e vídeos sobre a gastronomia Angolana;


• Sapo Astral (http://astrologia.sapo.ao) – canal com conteúdos de entretenimento, com foco nas previsões e características de cada signo;


• Palco Principal (http://palcoprincipal.sapo.ao) – portal dedicado aos ritmos de Angola. Tem como objectivo reunir toda a comunidade musical Angolana, para que estes possam comunicar entre si e ver os seus trabalhos divulgados, não só em Angola, como além fronteiras e na comunidade lusófona, nomeadamente Portugal e Brasil onde o portal também está presente;



• Sites SAPO (http://sites.sapo.ao) – é uma ferramenta online para a criação de “Micro-Sites” em Angola, disponíveis na web e no telemóvel, em poucos minutos e sem ser necessário saber HTML para colocar o site online. O acesso ao Sites Sapo é gratuito e permite a integração com as plataformas de vídeos, fotos e blogs do Sapo Angola.
publicado por sattotal às 00:08 | link do post
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
comentários recentes
Olá robo
MUSA, DIVA, SEREIA LINDA E DELICIOSA QUE AMAREI ET...
ANA HICKMANN A SEREIA MAIS LINDA E DELICIOSA DO MU...
MUSA, DIVA, SEREIA LINDA E DELICIOSA QUE AMAREI ET...
Sereia linda e deliciosa Ana Hickmann, te amo
Deusa linda que amo demais Ana Hickmann
Te amarei enternamente Ana Hickmann
Diva, musa, sereia linda Ana Hickmann, te amo dema...
Está fixe :-)
Faltou indicar os créditos desse artigo. A fonte o...
subscrever feeds
SAPO Blogs