Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIVE TV

LIVE TV

Aprenda a ligar o Computador na Televisão!

Junho 07, 2010

sattotal

Entretenimento do PC direto em sua TV: aprenda a ligar o computador na televisão!

Ligar a televisão em seu computador pode ter uma porção de vantagens. Bem, como nem todos costumam utilizar monitores com tamanhos maiores do que uma televisão, ver o que se passa no computador através da TV é uma excelente ideia.

Que tal jogar o seu game favorito de PC em sua enorme televisão (sim, é possível tirar essa exclusividade dos video games)? Ou então, ver um filme que só está em seu computador de maneira muito mais aconchegante, como em seu sofá?

Ligar o computador na televisão é, na verdade, muito mais simples do que parece. Você só vai precisar mesmo é de alguns cabos e paciência. Ah, e é claro: que o computador tenha saída de vídeo.

Como sei se posso ligar o PC na televisão?

Você precisará conferir se o seu PC é compatível. Se você tem uma placa de vídeo (não a integrada ao chipset da placa-mãe, e sim aquela comprada à parte) provavelmente é possível ligar o PC na televisão. Caso você não tenha placa de vídeo, algumas placas integradas trazem as saídas de vídeo também — basta conferir.

Há cerca de cinco tipos de saídas do computador para vídeo: HDMI, DVI, S-VIDEO, S-VIDEO (com capacidade de Vídeo Componente) e VGA.



Qual cabo para qual televisão?

As televisões mais novas já vêm com entradas em HDMI, Vídeo Componente, VGA,S-VIDEO e a tradicional RCA (também conhecido como entrada AV). Para alguns casos é mais fácil usar uma conexão direta, sem precisar de cabos com adaptadores. Ou seja, um cabo que saia do PC como S-VIDEO e chegue à TV também como S-VIDEO, por exemplo. Entretanto, nem sempre é possível — às vezes porque a televisão não tem a entrada necessária ou porque simplesmente não existe um cabo direto.



Nas televisões mais antigas (aquelas com tubo de imagem), é mais difícil que existam entradas mais novas, como de Vídeo Componente. Entretanto, você encontrará, ao menos, entradas RCA e S-VIDEO.



Veja na tabela abaixo uma relação de saídas de vídeo do PC e das respectivas entradas de TV:

*O S-VIDEO com suporte para Vídeo Componente tem 7 ou 9 pinos em sua saída. O normal tem somente 4 pinos.

O processo é simples assim: basta conectar uma ponta em seu PC e outra em sua televisão. Lembre-se que a qualidade de imagem corresponderá à qualidade do cabo que você utilizou.

Alguns adaptadores de saídas de vídeo:




Tudo pronto! É hora de ligar o PC na TV

Se você já conectou os respectivos cabos no PC e na televisão, então agora só falta configurar para que tudo funcione direito. Se a sua televisão for convencional (de tubo de imagem), fica um aviso muito importante: primeiramente, mude a sua resolução de vídeo para 640x480 pixels. Caso contrário, a sua TV pode sofrer danos.

No Windows Vista/7: nestes sistemas há uma grande vantagem. Ao plugar o cabo na televisão e ligar o PC, ele já inicia com um aviso perguntando qual aparência você deseja utilizar (duplicar a Área de Trabalho, mostrar partes diferentes ou mostrar somente na televisão). Basta escolher uma delas e dar Ok.



Caso a janela não apareça, você precisará clicar com o botão direito na Área de Trabalho e escolher a opção Personalizar ou Resolução de Tela (no Windows 7). Depois, clique em Configurações de Vídeo.



Você verá que o Windows lista dois monitores, com os nomes de 1 e 2. Basta clicar em qualquer um deles e então marcar a opção “Estender a Área de Trabalho” e em “Este é o monitor principal”.


No Windows XP: o processo é muito semelhante ao Windows Vista e 7. A única diferença é que, para abrir as configurações de vídeo, basta ir ao Painel de Controle > Vídeo.

Usuários de placas de vídeo da NVIDIA: junto com os drivers da placa é instalada uma aplicação chamada “Painel de controle da NVIDIA”. Você pode acessá-la através da Área de Trabalho clicando com o botão direito. Dentro deste painel, você verá uma opção chamada "Definir vários vídeos" e pode escolher o modo de vídeo nView a ser utilizado.
 
Agora é só sentar no sofá e aproveitar o seu PC na televisão.

Aprenda a ligar o Computador na Televisão!

Junho 07, 2010

sattotal

Entretenimento do PC direto em sua TV: aprenda a ligar o computador na televisão!

Ligar a televisão em seu computador pode ter uma porção de vantagens. Bem, como nem todos costumam utilizar monitores com tamanhos maiores do que uma televisão, ver o que se passa no computador através da TV é uma excelente ideia.

Que tal jogar o seu game favorito de PC em sua enorme televisão (sim, é possível tirar essa exclusividade dos video games)? Ou então, ver um filme que só está em seu computador de maneira muito mais aconchegante, como em seu sofá?

Ligar o computador na televisão é, na verdade, muito mais simples do que parece. Você só vai precisar mesmo é de alguns cabos e paciência. Ah, e é claro: que o computador tenha saída de vídeo.

Como sei se posso ligar o PC na televisão?

Você precisará conferir se o seu PC é compatível. Se você tem uma placa de vídeo (não a integrada ao chipset da placa-mãe, e sim aquela comprada à parte) provavelmente é possível ligar o PC na televisão. Caso você não tenha placa de vídeo, algumas placas integradas trazem as saídas de vídeo também — basta conferir.

Há cerca de cinco tipos de saídas do computador para vídeo: HDMI, DVI, S-VIDEO, S-VIDEO (com capacidade de Vídeo Componente) e VGA.



Qual cabo para qual televisão?

As televisões mais novas já vêm com entradas em HDMI, Vídeo Componente, VGA,S-VIDEO e a tradicional RCA (também conhecido como entrada AV). Para alguns casos é mais fácil usar uma conexão direta, sem precisar de cabos com adaptadores. Ou seja, um cabo que saia do PC como S-VIDEO e chegue à TV também como S-VIDEO, por exemplo. Entretanto, nem sempre é possível — às vezes porque a televisão não tem a entrada necessária ou porque simplesmente não existe um cabo direto.



Nas televisões mais antigas (aquelas com tubo de imagem), é mais difícil que existam entradas mais novas, como de Vídeo Componente. Entretanto, você encontrará, ao menos, entradas RCA e S-VIDEO.



Veja na tabela abaixo uma relação de saídas de vídeo do PC e das respectivas entradas de TV:

*O S-VIDEO com suporte para Vídeo Componente tem 7 ou 9 pinos em sua saída. O normal tem somente 4 pinos.

O processo é simples assim: basta conectar uma ponta em seu PC e outra em sua televisão. Lembre-se que a qualidade de imagem corresponderá à qualidade do cabo que você utilizou.

Alguns adaptadores de saídas de vídeo:




Tudo pronto! É hora de ligar o PC na TV

Se você já conectou os respectivos cabos no PC e na televisão, então agora só falta configurar para que tudo funcione direito. Se a sua televisão for convencional (de tubo de imagem), fica um aviso muito importante: primeiramente, mude a sua resolução de vídeo para 640x480 pixels. Caso contrário, a sua TV pode sofrer danos.

No Windows Vista/7: nestes sistemas há uma grande vantagem. Ao plugar o cabo na televisão e ligar o PC, ele já inicia com um aviso perguntando qual aparência você deseja utilizar (duplicar a Área de Trabalho, mostrar partes diferentes ou mostrar somente na televisão). Basta escolher uma delas e dar Ok.



Caso a janela não apareça, você precisará clicar com o botão direito na Área de Trabalho e escolher a opção Personalizar ou Resolução de Tela (no Windows 7). Depois, clique em Configurações de Vídeo.



Você verá que o Windows lista dois monitores, com os nomes de 1 e 2. Basta clicar em qualquer um deles e então marcar a opção “Estender a Área de Trabalho” e em “Este é o monitor principal”.


No Windows XP: o processo é muito semelhante ao Windows Vista e 7. A única diferença é que, para abrir as configurações de vídeo, basta ir ao Painel de Controle > Vídeo.

Usuários de placas de vídeo da NVIDIA: junto com os drivers da placa é instalada uma aplicação chamada “Painel de controle da NVIDIA”. Você pode acessá-la através da Área de Trabalho clicando com o botão direito. Dentro deste painel, você verá uma opção chamada "Definir vários vídeos" e pode escolher o modo de vídeo nView a ser utilizado.
 
Agora é só sentar no sofá e aproveitar o seu PC na televisão.

Por que "TVs de LED" não existem?

Junho 07, 2010

sattotal

Com cada vez mais opções na hora de escolher uma televisão, nada mais normal do que confundir as tecnologias que surgem a toda hora. Portanto, pedir por uma “TV de LED” é algo comum de se ouvir em lojas especializadas.

Porém esse tipo de construção não está exatamente correta. Para desmistificar a confusão e deixar as coisas mais claras, mostramos neste artigo como funciona a distinção entre LCD e LED, para que você faça bonito na hora de escolher sua nova televisão.


Faça-se a luz!

Para sanar a dúvida em relação ao LCD e LED, o que você precisa saber é que ambas funcionam através de luz.

Isso quer dizer que, para formar a imagem em uma tela de LCD, é necessário um feixe de luz que faça com que os pixels sejam controlados para mostrar determinada cor, formando assim inúmeras imagens na tela da televisão. As telas de LCD podem reproduzir atualmente 16,8 milhões de cores, somadas todas as combinações de cores de cada pixel.

A iluminação de telas LCD normais são feitas através de uma grande lâmpada fluorescente chamada CCFL ou Cold Cathode Fluorescent Lamp (lâmpada fluorescente de cátodo frio) em toda a extensão do painel de cristal líquido. Essa iluminação também é chamada de Backlight, ou seja, luz de fundo, devido a sua forma de iluminar a tela.

E o que a tecnologia LED tem a ver com isso?


Pois bem, agora que você entendeu como funciona o LCD, saiba que as chamadas “telas de LED” não são formadas por LEDs no lugar dos pixels, como muita gente imagina. Na realidade, as televisões com tecnologia LED possuem ainda a tela em LCD, porém o que muda é a forma na qual a iluminação é feita.


As telas que possuem a tecnologia LED (Light-Emitting Diodes, ou diodos emissores de luz) são formadas por inúmeros e pequenos diodos emissores de luzes coloridas que iluminam cada parte da tela com uma qualidade maior, pois o feixe é determinado para cada local dela. O resultado são imagens mais estáveis e com maior brilho, além de mais contrastadas.

Isso quer dizer que, ao invés da luz branca que incidia sobre a superfície do cristal líquido, a tecnologia LED faz que milhares de pequenas luzes coloridas acendam de forma independente. Essa tecnologia é chamada de “luz em estado sólido”, pois seu funcionamento é diferente das lâmpadas fluorescentes comuns.

Como funciona um LED


Para você entender como essas pequenas luzes coloridas se formam e contribuem para uma maior qualidade de imagem, vale a pena explicar rapidamente como a tecnologia LED funciona.

O LED é o que já chamamos anteriormente de diodo semicondutor e possui um funcionamento relativamente simples, porém extremamente interessante. Diferente de outros componentes eletrônicos, ao receber energia, um LED consegue emitir luz ao invés de calor




Antigamente, os LEDs só emitiam luzes coloridas caso possuíssem uma carcaça de cores diferentes, porém atualmente eles passaram a emitir luz em cores diferentes, mesmo possuindo um invólucro transparente. A emissão de diferentes cores se dá através do controle de alta precisão na corrente elétrica, decorrente de muitos estudos para a evolução da tecnologia.





Diferentes Backlights de LED


Apesar de se usar o termo genericamente, atualmente são utilizadas duas formas de organizar os backlights de LED: Edge-Lit (iluminação pelas “laterais”) e local dimming (redução local).

Na organização Edge-Lit, os LEDs são montados em faixas nas laterais da tela, fornecendo a luz para o centro, que então é redirecionada para a tela. Esse tipo de disposição traz telas muito mais finas do que o normal e menor consumo de energia se comparado com as telas de CCFL mais antigas.



Já as telas de local dimming são aquelas que possuem lâmpadas de LED por inteiro na tela, em uma grade. Cada uma delas pode ser controlada individualmente, ficando acesas ou apagadas em cada local onde são necessárias.

Outra característica a se procurar nas televisões com tecnologia LED são as cores das luzes que iluminam a tela. O que significa que telas que são iluminadas por LEDs coloridos tendem a resultar em imagens mais contrastadas, precisas e definidas. Isso não quer dizer que televisões que se utilizam de LEDs brancos não sejam boas, porém não trazem imagens tão “realistas” quanto as primeiras.


Vantagens do LED

Como já dito, a tecnologia LED aumenta a qualidade das imagens, deixando-as mais nítidas, com maior brilho e melhor contraste, além de mais estáveis. Com isso, a televisão de LCD que desfruta desta tecnologia chega muito perto das televisões de plasma que se encontram por aí.

Outra vantagem está em assunto em voga no momento: a ecologia. A tela que utiliza LEDs traz uma economia de até 40% em seu consumo, além de ser fabricada com materiais que não agridem a natureza de forma tão violenta como as outras televisões.

Diferentemente das lançadas anteriormente, as telas que utilizam a tecnologia LED não contêm chumbo, mercúrio ou compostos orgânicos voláteis (COV). Isso quer dizer que, caso ocorra algum vazamento ou você precise se desfazer de uma televisão com tecnologia LED, o impacto ambiental será bem menor do que com televisões que utilizam materiais considerados mais “pesados”.

Ainda outra grande vantagem das televisões com Backlight de LED está no tamanho. Principalmente com a configuração Edge-Lit, a televisão pode ficar com três a cinco centímetros de espessura, dependendo do tamanho do televisor adquirido.

Nos modelos que se utilizam da organização de lâmpadas local dimming, que necessariamente são mais espessas se comparadas com as de Edge-Lit, o ganho também é substancial, porém na qualidade de imagem.

Enquanto em outros modelos há um pouco de dispersão de luz causada pelo “vazamento” de luz, em televisões com local dimming o contraste chega do branco mais alvo ao preto de fato (e não cinza). Isso porque as luzes se acendem e se apagam individualmente, iluminando apenas aquilo que realmente importa na tela.

Apesar de mais robustas, as televisões que se utilizam desta forma de organização dos LEDs são mais caras e mais vantajosas em termos de cores (porém mais grossas do que as iluminadas nas laterais).


Qual a nomenclatura correta para “TVs de LED”?

A forma correta de chamar as “TVs de LED” seria chamá-las de “TVs de LCD com Backlight de LEDs”. Agora você já pode impressionar os vendedores que tentarem lhe vender uma televisão sem especificar o porquê do preço.

As vantagens das TVs que contam com LEDs são extremamente chamativas. Além disso, a tecnologia já está disponível a preços razoavelmente acessíveis para quem gosta de ficar por dentro do mais atual.

Obviamente, muito ainda se pesquisa quando se fala em televisões e tecnologias para alta definição. Telas com tecnologia OLED, SED, AMOLED e outras estão em fase de estudos e até contam com alguns representantes no mercado, porém com preços ainda salgados.

Portanto, na hora de trocar sua televisão “velha de guerra” por uma com tecnologia LED, tenha sempre essas informações em mente. Assim você pode fazer a melhor escolha, sem pagar menos ou mais por aquilo que foi especificado na propaganda.

Esperamos que este artigo tenha sanado algumas dúvidas sobre as televisões LED

Por que "TVs de LED" não existem?

Junho 07, 2010

sattotal

Com cada vez mais opções na hora de escolher uma televisão, nada mais normal do que confundir as tecnologias que surgem a toda hora. Portanto, pedir por uma “TV de LED” é algo comum de se ouvir em lojas especializadas.

Porém esse tipo de construção não está exatamente correta. Para desmistificar a confusão e deixar as coisas mais claras, mostramos neste artigo como funciona a distinção entre LCD e LED, para que você faça bonito na hora de escolher sua nova televisão.


Faça-se a luz!

Para sanar a dúvida em relação ao LCD e LED, o que você precisa saber é que ambas funcionam através de luz.

Isso quer dizer que, para formar a imagem em uma tela de LCD, é necessário um feixe de luz que faça com que os pixels sejam controlados para mostrar determinada cor, formando assim inúmeras imagens na tela da televisão. As telas de LCD podem reproduzir atualmente 16,8 milhões de cores, somadas todas as combinações de cores de cada pixel.

A iluminação de telas LCD normais são feitas através de uma grande lâmpada fluorescente chamada CCFL ou Cold Cathode Fluorescent Lamp (lâmpada fluorescente de cátodo frio) em toda a extensão do painel de cristal líquido. Essa iluminação também é chamada de Backlight, ou seja, luz de fundo, devido a sua forma de iluminar a tela.

E o que a tecnologia LED tem a ver com isso?


Pois bem, agora que você entendeu como funciona o LCD, saiba que as chamadas “telas de LED” não são formadas por LEDs no lugar dos pixels, como muita gente imagina. Na realidade, as televisões com tecnologia LED possuem ainda a tela em LCD, porém o que muda é a forma na qual a iluminação é feita.


As telas que possuem a tecnologia LED (Light-Emitting Diodes, ou diodos emissores de luz) são formadas por inúmeros e pequenos diodos emissores de luzes coloridas que iluminam cada parte da tela com uma qualidade maior, pois o feixe é determinado para cada local dela. O resultado são imagens mais estáveis e com maior brilho, além de mais contrastadas.

Isso quer dizer que, ao invés da luz branca que incidia sobre a superfície do cristal líquido, a tecnologia LED faz que milhares de pequenas luzes coloridas acendam de forma independente. Essa tecnologia é chamada de “luz em estado sólido”, pois seu funcionamento é diferente das lâmpadas fluorescentes comuns.

Como funciona um LED


Para você entender como essas pequenas luzes coloridas se formam e contribuem para uma maior qualidade de imagem, vale a pena explicar rapidamente como a tecnologia LED funciona.

O LED é o que já chamamos anteriormente de diodo semicondutor e possui um funcionamento relativamente simples, porém extremamente interessante. Diferente de outros componentes eletrônicos, ao receber energia, um LED consegue emitir luz ao invés de calor




Antigamente, os LEDs só emitiam luzes coloridas caso possuíssem uma carcaça de cores diferentes, porém atualmente eles passaram a emitir luz em cores diferentes, mesmo possuindo um invólucro transparente. A emissão de diferentes cores se dá através do controle de alta precisão na corrente elétrica, decorrente de muitos estudos para a evolução da tecnologia.





Diferentes Backlights de LED


Apesar de se usar o termo genericamente, atualmente são utilizadas duas formas de organizar os backlights de LED: Edge-Lit (iluminação pelas “laterais”) e local dimming (redução local).

Na organização Edge-Lit, os LEDs são montados em faixas nas laterais da tela, fornecendo a luz para o centro, que então é redirecionada para a tela. Esse tipo de disposição traz telas muito mais finas do que o normal e menor consumo de energia se comparado com as telas de CCFL mais antigas.



Já as telas de local dimming são aquelas que possuem lâmpadas de LED por inteiro na tela, em uma grade. Cada uma delas pode ser controlada individualmente, ficando acesas ou apagadas em cada local onde são necessárias.

Outra característica a se procurar nas televisões com tecnologia LED são as cores das luzes que iluminam a tela. O que significa que telas que são iluminadas por LEDs coloridos tendem a resultar em imagens mais contrastadas, precisas e definidas. Isso não quer dizer que televisões que se utilizam de LEDs brancos não sejam boas, porém não trazem imagens tão “realistas” quanto as primeiras.


Vantagens do LED

Como já dito, a tecnologia LED aumenta a qualidade das imagens, deixando-as mais nítidas, com maior brilho e melhor contraste, além de mais estáveis. Com isso, a televisão de LCD que desfruta desta tecnologia chega muito perto das televisões de plasma que se encontram por aí.

Outra vantagem está em assunto em voga no momento: a ecologia. A tela que utiliza LEDs traz uma economia de até 40% em seu consumo, além de ser fabricada com materiais que não agridem a natureza de forma tão violenta como as outras televisões.

Diferentemente das lançadas anteriormente, as telas que utilizam a tecnologia LED não contêm chumbo, mercúrio ou compostos orgânicos voláteis (COV). Isso quer dizer que, caso ocorra algum vazamento ou você precise se desfazer de uma televisão com tecnologia LED, o impacto ambiental será bem menor do que com televisões que utilizam materiais considerados mais “pesados”.

Ainda outra grande vantagem das televisões com Backlight de LED está no tamanho. Principalmente com a configuração Edge-Lit, a televisão pode ficar com três a cinco centímetros de espessura, dependendo do tamanho do televisor adquirido.

Nos modelos que se utilizam da organização de lâmpadas local dimming, que necessariamente são mais espessas se comparadas com as de Edge-Lit, o ganho também é substancial, porém na qualidade de imagem.

Enquanto em outros modelos há um pouco de dispersão de luz causada pelo “vazamento” de luz, em televisões com local dimming o contraste chega do branco mais alvo ao preto de fato (e não cinza). Isso porque as luzes se acendem e se apagam individualmente, iluminando apenas aquilo que realmente importa na tela.

Apesar de mais robustas, as televisões que se utilizam desta forma de organização dos LEDs são mais caras e mais vantajosas em termos de cores (porém mais grossas do que as iluminadas nas laterais).


Qual a nomenclatura correta para “TVs de LED”?

A forma correta de chamar as “TVs de LED” seria chamá-las de “TVs de LCD com Backlight de LEDs”. Agora você já pode impressionar os vendedores que tentarem lhe vender uma televisão sem especificar o porquê do preço.

As vantagens das TVs que contam com LEDs são extremamente chamativas. Além disso, a tecnologia já está disponível a preços razoavelmente acessíveis para quem gosta de ficar por dentro do mais atual.

Obviamente, muito ainda se pesquisa quando se fala em televisões e tecnologias para alta definição. Telas com tecnologia OLED, SED, AMOLED e outras estão em fase de estudos e até contam com alguns representantes no mercado, porém com preços ainda salgados.

Portanto, na hora de trocar sua televisão “velha de guerra” por uma com tecnologia LED, tenha sempre essas informações em mente. Assim você pode fazer a melhor escolha, sem pagar menos ou mais por aquilo que foi especificado na propaganda.

Esperamos que este artigo tenha sanado algumas dúvidas sobre as televisões LED

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub