Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIVE TV

LIVE TV

Lisboa será uma das 103 cidades de todo o mundo a apelar pela vida de Sakineh Ashtiani.

Agosto 28, 2010

sattotal

uma de cada vez .

Há uma mulher no Irão condenada à morte por lapidação. Tem 43 anos, dois filhos (um de 22 e uma de 17), e, dizem- -nos, é culpada de "adultério "e de "envolvimento na morte do marido". Está presa há quatro anos. Este mês, o seu advogado fugiu do país e pediu asilo político. A seguir, a televisão iraniana difundiu aquilo que apresentou como a confissão desta mulher, uma voz sumida sob um véu, irreconhecível.

Não, não é a primeira mulher a ser condenada à lapidação por adultério, no Irão (onde há mais 11 a aguardar a mesma execução) e fora do Irão. Não, não é novidade haver mulheres lapidadas por "relações sexuais ilícitas", algumas delas crianças, algumas delas vítimas de violação. Há imagens dessas execuções na Net, descrições atrozes que nos parecem mentira. Aliás tudo isto parece impossível de tão bárbaro, tão de outro mundo - um mundo onde se mata com pedras nem muito grandes nem muito pequenas para que a agonia dure, onde uma mulher pode ser o alvo de um jogo de acerta e mata por causa desta palavra, adultério, desta noção de que as mulheres são o mal e o corpo do diabo, feitas para castigo e submissão.

Sim, apetece ignorar isto, apetece dizer: é tão longe e eu sou eu, só eu, que posso contra isto? Que posso fazer por ela, por essa mulher, Sakineh Ashtiani, da qual aprendi o nome nas notícias e o rosto sereno sob o véu negro numa foto talvez antiga, talvez de um tempo em que ela, como nós, achava impossível que isto pudesse ser, que pudesse acontecer-lhe, que fosse o nome dela nas cartas de celebridades e nos apelos do mundo, a cara dela nos cartazes e na TV, a vida dela a depender dos caprichos de um clérigo, de um "líder supremo", e talvez - talvez é talvez - também de mim?

Posso isto, Sakineh, e perdoa que me junte assim aos que te fazem bandeira e causa e pretexto para grandiloquências, afirmações políticas e brilharetes e ultimatos e poemas. Posso dizer não. Posso dizer que não perdoo a quem não erga a voz contra a ignomínia e a obscenidade da tua condenação, contra a lei repugnante que te condena e o regime que a sustenta. Posso dizer que não admito que hoje, no meu mundo, no meu tempo, estas coisas se justifiquem com "diferenças culturais" ou "ordens internas"e não ocasionem protestos vigorosos de todos os governos que se querem decentes - a começar pelo do meu País. Posso dizer que vou estar atenta a todos os silêncios e que espero ver na primeira fila da tua defesa os que se afirmam apologistas incansáveis da vida e os que se reclamam de uma interpretação benigna do Islão.

Sou só uma. Não posso muito. Posso só dizer: estou aqui, estou por ti. E por mim, porque tu e eu somos o mesmo, a mesma.


Eu sou só uma, tu és só uma. É assim que começa. Amanhã dia 28, no Largo Camões, às 18 horas, Lisboa será uma das 103 cidades de todo o mundo a apelar pela tua vida.

(publicado no dn 27-08-2010)

Lisboa será uma das 103 cidades de todo o mundo a apelar pela vida de Sakineh Ashtiani.

Agosto 28, 2010

sattotal

uma de cada vez .

Há uma mulher no Irão condenada à morte por lapidação. Tem 43 anos, dois filhos (um de 22 e uma de 17), e, dizem- -nos, é culpada de "adultério "e de "envolvimento na morte do marido". Está presa há quatro anos. Este mês, o seu advogado fugiu do país e pediu asilo político. A seguir, a televisão iraniana difundiu aquilo que apresentou como a confissão desta mulher, uma voz sumida sob um véu, irreconhecível.

Não, não é a primeira mulher a ser condenada à lapidação por adultério, no Irão (onde há mais 11 a aguardar a mesma execução) e fora do Irão. Não, não é novidade haver mulheres lapidadas por "relações sexuais ilícitas", algumas delas crianças, algumas delas vítimas de violação. Há imagens dessas execuções na Net, descrições atrozes que nos parecem mentira. Aliás tudo isto parece impossível de tão bárbaro, tão de outro mundo - um mundo onde se mata com pedras nem muito grandes nem muito pequenas para que a agonia dure, onde uma mulher pode ser o alvo de um jogo de acerta e mata por causa desta palavra, adultério, desta noção de que as mulheres são o mal e o corpo do diabo, feitas para castigo e submissão.

Sim, apetece ignorar isto, apetece dizer: é tão longe e eu sou eu, só eu, que posso contra isto? Que posso fazer por ela, por essa mulher, Sakineh Ashtiani, da qual aprendi o nome nas notícias e o rosto sereno sob o véu negro numa foto talvez antiga, talvez de um tempo em que ela, como nós, achava impossível que isto pudesse ser, que pudesse acontecer-lhe, que fosse o nome dela nas cartas de celebridades e nos apelos do mundo, a cara dela nos cartazes e na TV, a vida dela a depender dos caprichos de um clérigo, de um "líder supremo", e talvez - talvez é talvez - também de mim?

Posso isto, Sakineh, e perdoa que me junte assim aos que te fazem bandeira e causa e pretexto para grandiloquências, afirmações políticas e brilharetes e ultimatos e poemas. Posso dizer não. Posso dizer que não perdoo a quem não erga a voz contra a ignomínia e a obscenidade da tua condenação, contra a lei repugnante que te condena e o regime que a sustenta. Posso dizer que não admito que hoje, no meu mundo, no meu tempo, estas coisas se justifiquem com "diferenças culturais" ou "ordens internas"e não ocasionem protestos vigorosos de todos os governos que se querem decentes - a começar pelo do meu País. Posso dizer que vou estar atenta a todos os silêncios e que espero ver na primeira fila da tua defesa os que se afirmam apologistas incansáveis da vida e os que se reclamam de uma interpretação benigna do Islão.

Sou só uma. Não posso muito. Posso só dizer: estou aqui, estou por ti. E por mim, porque tu e eu somos o mesmo, a mesma.


Eu sou só uma, tu és só uma. É assim que começa. Amanhã dia 28, no Largo Camões, às 18 horas, Lisboa será uma das 103 cidades de todo o mundo a apelar pela tua vida.

(publicado no dn 27-08-2010)

Atracção gótica enche festival Entremuralhas

Agosto 27, 2010

sattotal

“Holanda, França, Espanha, Inglaterra, Suécia, Finlândia, Rússia, Brasil, Itália, Israel, Polónia, Brasil, Rússia…”. Carlos Matos, o director de produção do Fade In, quase perde o fôlego só de enumerar de onde chegaram os pedidos de bilhetes para o festival Entremuralhas, que o Castelo de Leiria recebe a partir de sexta-feira.

“A procura é acima do que estávamos à espera. Tenho a certeza que vai ser lotação esgotada”, dizia a meio da semana o responsável. Esperam-se 1.400 pessoas (700 por dia) no festival, que terá muitos espectadores que viajam propositadamente para Leiria, seduzidos pela atracção gótica.

Habituado a surpreender Leiria e Portugal com concertos diferentes, o festival Fade In faz dez anos e tem neste fim-de-semana o seu ponto mais alto. “A oferta desta vez é mais concentrada, a promoção e divulgação foram maiores, é natural que o impacto seja superior. E que a mobilização seja consentânea”, sublinha Carlos Matos.

E o que esperar destes dois dias? “Um misto entre moderno e rústico”, arrisca.

“Vai haver um folclore de pessoas bonitas, uma conhecedoras, outras que vêm a descoberta de novas sensações musicais”.

PROGRAMA


Sexta-feira, dia 27 (abertura de portas: 17 horas, primeiro concerto: 21h30)

Project Pitchfork (Alemanha)
Ataraxia (Itália)
Ashram (Itália)


After-party: Adro Bar (junto à Sé)


Sábado, dia 28 (abertura de portas: 17 horas, primeiro concerto: 20 horas)


Covenant (Suécia)
Ordo Rosarius Equilibrio (Suécia)
Collection D’Arnell Andréa (França)
Uxukalhus (Portugal)


After-party: Beat Club (junto às piscinas municipais)


Entrevista de Carlos Matos (Fade In) à TVI:




CONFERÊNCIAS


Margens e Rupturas


dias 27 e 28 de Agosto às 19h00
Local: Paço D. João I


Moderador: Bruno Monteiro (Professor de Geologia e Biologia)
Conferencistas: Adolfo Luxúria Canibal (músico e escritor), Fernando Ribeiro (músico e escritor), Joana Bartolomeu (realizadora cinema de animação), Patrick Mendes (realizador de cinema), Filipe Melo (músico, argumentista e produtor de cinema), Filipe Lopes (crítico de cinema), Miguel Figueira (arquitecto), Pedro Trindade Ferreira (arquitecto urbanista).

Temas:


“Desconstrução do standard e do vigente”
“O mundo não é obrigatoriamente como (querem que) o ve(ja)mos”
“Preconceito e desproporcionalidade”
“Ideias pré-concebidas e mistificações erróneas”
“Racionalidade versus Emotividade”
“Teoria ou espontaneidade?”
“Liberdade artística ou ditadura da “normalidade”?”
“O politicamente correcto enquanto inimigo da criatividade”
“Todos diferentes… todos diferentes!”
“O culto da individualidade enquanto manifesto existencial”


FILMES


The Tailors Kiss
de Joana Bartolomeu
dia 27 Agosto (sexta) às 18h30
Local: Paço D. João I


Vencedor do prémio de melhor filme de marionetas no The World Festival Of Puppet Art 2010, em Praga, “The Tailors Kiss” é uma curta metragem da autoria da realizadora leiriense Joana Bartolomeu. Actualmente a residir em Lisboa, esta apaixonada dos filmes de animação formada em Londres (na reputada National Film and Television School) tem ainda tempo para dar aulas nas Belas Artes e de manter o blog Kafkian Mood…



A Sangue Frio (2009)
de Patrick Mendes
dia 27 de Agosto (sexta) às 18h40
Local: Paço D. João I


Agraciado com o Prémio Melhor Curta de Terror Portuguesa do MOTELx, “A Sangue Frio”, realizado por Patrick Mendes, retrata a relação de uma mulher com um espantalho, contando com as interpretações de Andresa Soares e Lígia Soares. Nascido em 1981, Patrick Mendes formou-se na Escola Superior de Teatro e Cinema da Universidade Técnica de Lisboa e já trabalhou com os realizadores Eugène Green, João Canijo, Pedro Costa e Werner Schroeter.



I’ll See You in my Dreams (2003)
de Filipe Melo
dia 28 de Agosto (sábado) às 18h30
Local: Paço D. João I


Considerado o primeiro filme de zombies feito em Portugal, “I’ll See You In My Dreams” desde logo se tornou num objecto de culto em si. O seu autor (também músico, também argumentista) acercou-se de um elenco arrojado onde constam nomes sonantes como Sofia Aparício, Manuel João Vieira ou Rui Unas. Com música dos Moonspell, esta curta-metragem retrata uma história de amor que decorre num vilarejo assombrado por estranhas criaturas…

EXPOSIÇÃO


A Ferro e Pedra
de Alexandre Estrela
Inauguração dia 27 Agosto (sexta) às 17h30
Local: Paço D. João I


“Ser artista é… fui eu que fiz!”. É desta forma desmesuradamente simples e descomprometida que Alexandre Estrela se justifica enquanto criador. O paradoxo é mais acentuado se tivermos em conta que estamos perante alguém cuja obra de simples nada tem. Nascido em 1948, este ex-Torneiro Mecânico autodidacta, reutiliza materiais (maioritariamente desperdícios industrias) para povoar o seu mundo despretensioso com criaturas grotescas e disformes, e por estranhos objectos de formas despudoradamente fálicas… “A Ferro e Pedra!” é uma exposição incapaz de deixar alguém indiferente.

http://www.alexandre-estrela-escultura.blogspot.com/


BILHETES


1 dia: €25,00 (Sócios FADE IN : €20,00)
2 dias: €40,00 (Sócios FADE IN : €30,00)




Venda Antecipada:


Teatro José Lúcio da Silva,
Av. Heróis de Angola – Leiria


Horário da bilheteira do Teatro: todos os dias das 13h30 às 16h00
http://www.teatrojlsilva.pt/


Reservas:
reservas@fadeinfestival.com
Infoline: 910 255 776

Atracção gótica enche festival Entremuralhas

Agosto 27, 2010

sattotal

“Holanda, França, Espanha, Inglaterra, Suécia, Finlândia, Rússia, Brasil, Itália, Israel, Polónia, Brasil, Rússia…”. Carlos Matos, o director de produção do Fade In, quase perde o fôlego só de enumerar de onde chegaram os pedidos de bilhetes para o festival Entremuralhas, que o Castelo de Leiria recebe a partir de sexta-feira.

“A procura é acima do que estávamos à espera. Tenho a certeza que vai ser lotação esgotada”, dizia a meio da semana o responsável. Esperam-se 1.400 pessoas (700 por dia) no festival, que terá muitos espectadores que viajam propositadamente para Leiria, seduzidos pela atracção gótica.

Habituado a surpreender Leiria e Portugal com concertos diferentes, o festival Fade In faz dez anos e tem neste fim-de-semana o seu ponto mais alto. “A oferta desta vez é mais concentrada, a promoção e divulgação foram maiores, é natural que o impacto seja superior. E que a mobilização seja consentânea”, sublinha Carlos Matos.

E o que esperar destes dois dias? “Um misto entre moderno e rústico”, arrisca.

“Vai haver um folclore de pessoas bonitas, uma conhecedoras, outras que vêm a descoberta de novas sensações musicais”.

PROGRAMA


Sexta-feira, dia 27 (abertura de portas: 17 horas, primeiro concerto: 21h30)

Project Pitchfork (Alemanha)
Ataraxia (Itália)
Ashram (Itália)


After-party: Adro Bar (junto à Sé)


Sábado, dia 28 (abertura de portas: 17 horas, primeiro concerto: 20 horas)


Covenant (Suécia)
Ordo Rosarius Equilibrio (Suécia)
Collection D’Arnell Andréa (França)
Uxukalhus (Portugal)


After-party: Beat Club (junto às piscinas municipais)


Entrevista de Carlos Matos (Fade In) à TVI:




CONFERÊNCIAS


Margens e Rupturas


dias 27 e 28 de Agosto às 19h00
Local: Paço D. João I


Moderador: Bruno Monteiro (Professor de Geologia e Biologia)
Conferencistas: Adolfo Luxúria Canibal (músico e escritor), Fernando Ribeiro (músico e escritor), Joana Bartolomeu (realizadora cinema de animação), Patrick Mendes (realizador de cinema), Filipe Melo (músico, argumentista e produtor de cinema), Filipe Lopes (crítico de cinema), Miguel Figueira (arquitecto), Pedro Trindade Ferreira (arquitecto urbanista).

Temas:


“Desconstrução do standard e do vigente”
“O mundo não é obrigatoriamente como (querem que) o ve(ja)mos”
“Preconceito e desproporcionalidade”
“Ideias pré-concebidas e mistificações erróneas”
“Racionalidade versus Emotividade”
“Teoria ou espontaneidade?”
“Liberdade artística ou ditadura da “normalidade”?”
“O politicamente correcto enquanto inimigo da criatividade”
“Todos diferentes… todos diferentes!”
“O culto da individualidade enquanto manifesto existencial”


FILMES


The Tailors Kiss
de Joana Bartolomeu
dia 27 Agosto (sexta) às 18h30
Local: Paço D. João I


Vencedor do prémio de melhor filme de marionetas no The World Festival Of Puppet Art 2010, em Praga, “The Tailors Kiss” é uma curta metragem da autoria da realizadora leiriense Joana Bartolomeu. Actualmente a residir em Lisboa, esta apaixonada dos filmes de animação formada em Londres (na reputada National Film and Television School) tem ainda tempo para dar aulas nas Belas Artes e de manter o blog Kafkian Mood…



A Sangue Frio (2009)
de Patrick Mendes
dia 27 de Agosto (sexta) às 18h40
Local: Paço D. João I


Agraciado com o Prémio Melhor Curta de Terror Portuguesa do MOTELx, “A Sangue Frio”, realizado por Patrick Mendes, retrata a relação de uma mulher com um espantalho, contando com as interpretações de Andresa Soares e Lígia Soares. Nascido em 1981, Patrick Mendes formou-se na Escola Superior de Teatro e Cinema da Universidade Técnica de Lisboa e já trabalhou com os realizadores Eugène Green, João Canijo, Pedro Costa e Werner Schroeter.



I’ll See You in my Dreams (2003)
de Filipe Melo
dia 28 de Agosto (sábado) às 18h30
Local: Paço D. João I


Considerado o primeiro filme de zombies feito em Portugal, “I’ll See You In My Dreams” desde logo se tornou num objecto de culto em si. O seu autor (também músico, também argumentista) acercou-se de um elenco arrojado onde constam nomes sonantes como Sofia Aparício, Manuel João Vieira ou Rui Unas. Com música dos Moonspell, esta curta-metragem retrata uma história de amor que decorre num vilarejo assombrado por estranhas criaturas…

EXPOSIÇÃO


A Ferro e Pedra
de Alexandre Estrela
Inauguração dia 27 Agosto (sexta) às 17h30
Local: Paço D. João I


“Ser artista é… fui eu que fiz!”. É desta forma desmesuradamente simples e descomprometida que Alexandre Estrela se justifica enquanto criador. O paradoxo é mais acentuado se tivermos em conta que estamos perante alguém cuja obra de simples nada tem. Nascido em 1948, este ex-Torneiro Mecânico autodidacta, reutiliza materiais (maioritariamente desperdícios industrias) para povoar o seu mundo despretensioso com criaturas grotescas e disformes, e por estranhos objectos de formas despudoradamente fálicas… “A Ferro e Pedra!” é uma exposição incapaz de deixar alguém indiferente.

http://www.alexandre-estrela-escultura.blogspot.com/


BILHETES


1 dia: €25,00 (Sócios FADE IN : €20,00)
2 dias: €40,00 (Sócios FADE IN : €30,00)




Venda Antecipada:


Teatro José Lúcio da Silva,
Av. Heróis de Angola – Leiria


Horário da bilheteira do Teatro: todos os dias das 13h30 às 16h00
http://www.teatrojlsilva.pt/


Reservas:
reservas@fadeinfestival.com
Infoline: 910 255 776

Fotografia de Kylie Minogue censurada pelo Facebook

Agosto 26, 2010

sattotal

O Facebook censurou uma fotografia da cantora Kylie Minogue, onde esta aparecia com um urso de peluche nas mãos, por considerar a imagem demasiado ofensiva para os padrões da rede social

Em causa está uma fotografia da cantora australiana a segurar um urso de peluche tirada no final de um concerto que Kylie Minogue deu num clube gay de Londres.


O problema está que na dita fotografia a cantora tem o microfone no meio das pernas do boneco, o que provocou alguma polémica com conotações sexuais e acabou por levar o Facebook a retirar a imagem do site, justificando-se com as políticas de utilização da rede social, que não autorizam a publicação de «fotografias de nudismo, utilização de drogas ou violência».

A polémica cedo se espalhou pela Internet e os comentários em torno do episódio resultaram em críticas contra a rede social.

O diário El País dá conta de um admirador da australiana que num site de fãs espanhol considera que «é ridículo que o Facebook sancione estas parvoíces mas não sanciona grupos que defendem que se deve tirar a pele a cães vivos».

Esta não é a primeira vez que o Facebook se vê alvo de críticas por censurar imagens de celebridades na rede social.

Há algumas semanas o mesmo aconteceu com a capa do mais recente álbum da banda norte-americana Scissor Sisters

Fotografia de Kylie Minogue censurada pelo Facebook

Agosto 26, 2010

sattotal

O Facebook censurou uma fotografia da cantora Kylie Minogue, onde esta aparecia com um urso de peluche nas mãos, por considerar a imagem demasiado ofensiva para os padrões da rede social

Em causa está uma fotografia da cantora australiana a segurar um urso de peluche tirada no final de um concerto que Kylie Minogue deu num clube gay de Londres.


O problema está que na dita fotografia a cantora tem o microfone no meio das pernas do boneco, o que provocou alguma polémica com conotações sexuais e acabou por levar o Facebook a retirar a imagem do site, justificando-se com as políticas de utilização da rede social, que não autorizam a publicação de «fotografias de nudismo, utilização de drogas ou violência».

A polémica cedo se espalhou pela Internet e os comentários em torno do episódio resultaram em críticas contra a rede social.

O diário El País dá conta de um admirador da australiana que num site de fãs espanhol considera que «é ridículo que o Facebook sancione estas parvoíces mas não sanciona grupos que defendem que se deve tirar a pele a cães vivos».

Esta não é a primeira vez que o Facebook se vê alvo de críticas por censurar imagens de celebridades na rede social.

Há algumas semanas o mesmo aconteceu com a capa do mais recente álbum da banda norte-americana Scissor Sisters

Identificadas mais de 3 milhões de falsas versões do YouTube

Agosto 26, 2010

sattotal

Uma empresa especializada em segurança informática afirma ter identificado cerca de 3 milhões de falsas versões do YouTube, que servem para apanhar cibernautas incautos

 
Falsos YouTubes utilizados para espalhar falsos antivírus



A descoberta foi da Zscaler, que afirma que estas páginas estão a ser utilizadas para levar as vítimas a descarregarem falsos antivírus, que em muitos casos não são detectados como tal.


Segundo um investigador da empresa, Julien Sobrier, os links para estes YouTubes maliciosos surgem quando se pesquisa pelo termo «Hot Video» no Google.


O especialista defende que o facto de estas falsas páginas terem ligações para sites fidedignos, como o Flickr, ajuda a enganar os motores de busca.


Num blogue da Zsclaer o especialista explica que «a página do YouTube falsa tem uma camada de Flash invisível e um objecto de Flash que redirecciona o utilizador para o site do falso antivírus».


Julien Sobrier adianta que se o utilizador desactivar o Flash, a ameaça desaparece.

Identificadas mais de 3 milhões de falsas versões do YouTube

Agosto 26, 2010

sattotal

Uma empresa especializada em segurança informática afirma ter identificado cerca de 3 milhões de falsas versões do YouTube, que servem para apanhar cibernautas incautos

 
Falsos YouTubes utilizados para espalhar falsos antivírus



A descoberta foi da Zscaler, que afirma que estas páginas estão a ser utilizadas para levar as vítimas a descarregarem falsos antivírus, que em muitos casos não são detectados como tal.


Segundo um investigador da empresa, Julien Sobrier, os links para estes YouTubes maliciosos surgem quando se pesquisa pelo termo «Hot Video» no Google.


O especialista defende que o facto de estas falsas páginas terem ligações para sites fidedignos, como o Flickr, ajuda a enganar os motores de busca.


Num blogue da Zsclaer o especialista explica que «a página do YouTube falsa tem uma camada de Flash invisível e um objecto de Flash que redirecciona o utilizador para o site do falso antivírus».


Julien Sobrier adianta que se o utilizador desactivar o Flash, a ameaça desaparece.

Listas de alvos a abater publicadas no Facebook causam pânico na Colômbia

Agosto 26, 2010

sattotal

A população da cidade colombiana de Puerto Asís está em pânico depois de terem sido publicadas no Facebook duas listas de alvos a abater com os nomes de 100 jovens, um dos quais já apareceu morto.



Segundo a imprensa local, a primeira lista surgiu na rede social no passado dia 17 de Agosto e continha os nomes de 69 jovens do sexo masculino, a quem era dito para saírem da cidade no prazo de três dias ou corriam o risco de sofrer as consequências.

Poucos dias depois, a 23 de Agosto, foi publicada uma outra lista, mas com os nomes de 31 adolescentes do sexo feminino.

Dos 100 nomes desta lista, pelo menos três jovens já apareceram mortos, sendo que apenas um terá sido assassinado depois da publicação da dita lista, adiantaram as autoridades locais.

Citado pela imprensa local um responsável governamental da província onde se situa Puerto Asís, Andres Gerardo Verdugo, revelou que o surgimento das listas da morte está a provocar o pânico na localidade e há já «pais preocupados que estão a retirar os seus filhos de lá».

O mesmo responsável sublinha que o caso está a ser investigado, apesar de inicialmente a publicação das listas, que entretanto já foram retiradas da rede social, ter sido considerada uma partida.

Em relação aos possíveis autores das ameaças, os suspeitos são as guerrilhas das FARC ou gangues locais.

Listas de alvos a abater publicadas no Facebook causam pânico na Colômbia

Agosto 26, 2010

sattotal

A população da cidade colombiana de Puerto Asís está em pânico depois de terem sido publicadas no Facebook duas listas de alvos a abater com os nomes de 100 jovens, um dos quais já apareceu morto.



Segundo a imprensa local, a primeira lista surgiu na rede social no passado dia 17 de Agosto e continha os nomes de 69 jovens do sexo masculino, a quem era dito para saírem da cidade no prazo de três dias ou corriam o risco de sofrer as consequências.

Poucos dias depois, a 23 de Agosto, foi publicada uma outra lista, mas com os nomes de 31 adolescentes do sexo feminino.

Dos 100 nomes desta lista, pelo menos três jovens já apareceram mortos, sendo que apenas um terá sido assassinado depois da publicação da dita lista, adiantaram as autoridades locais.

Citado pela imprensa local um responsável governamental da província onde se situa Puerto Asís, Andres Gerardo Verdugo, revelou que o surgimento das listas da morte está a provocar o pânico na localidade e há já «pais preocupados que estão a retirar os seus filhos de lá».

O mesmo responsável sublinha que o caso está a ser investigado, apesar de inicialmente a publicação das listas, que entretanto já foram retiradas da rede social, ter sido considerada uma partida.

Em relação aos possíveis autores das ameaças, os suspeitos são as guerrilhas das FARC ou gangues locais.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub