Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIVE TV

LIVE TV

Sport 1 HD nos 19,2º Este a 1 de Novembro

Setembro 02, 2010

sattotal

A estação desportiva alemã Sport 1, disponível em modo livre no satélite Astra 1M/19,2º Este (frequência 11.523 Ghz, H, SR 22000, FEC 2/3), anunciou o lançamento de uma versão em Alta Definição na plataforma codificada HD+ a partir de 1 de Novembro próximo, na frequência 10.832 GHz, H, SR 22000, FEC 2/3 (nesta altura já está disponível uma "demo").

O Sport 1 HD não será mais do que um “simulcast” do sinal hoje difundido em definição standard (SD). Tratar-se-á do 6º canal lançado no “bouquet” por assinatura HD+, reservado aos mercados de língua alemã e distribuído nos 19,2º Este, que já conta com as versões em HD das estações RTL, SAT.1, ProSieben, Vox e Kabel Eins.



Sport 1 HD nos 19,2º Este a 1 de Novembro

Setembro 02, 2010

sattotal

A estação desportiva alemã Sport 1, disponível em modo livre no satélite Astra 1M/19,2º Este (frequência 11.523 Ghz, H, SR 22000, FEC 2/3), anunciou o lançamento de uma versão em Alta Definição na plataforma codificada HD+ a partir de 1 de Novembro próximo, na frequência 10.832 GHz, H, SR 22000, FEC 2/3 (nesta altura já está disponível uma "demo").

O Sport 1 HD não será mais do que um “simulcast” do sinal hoje difundido em definição standard (SD). Tratar-se-á do 6º canal lançado no “bouquet” por assinatura HD+, reservado aos mercados de língua alemã e distribuído nos 19,2º Este, que já conta com as versões em HD das estações RTL, SAT.1, ProSieben, Vox e Kabel Eins.



Edição brasileira da Playboy terá capa em 3D

Setembro 02, 2010

sattotal

A versão brasileira da revista Playboy anunciou que a edição do mês de setembro terá capa em 3D. A publicação segue os passos da Playboy americana, que já havia anunciado em maio a divulgação da revista com detalhes em três dimensões.


A escolhida para ilustrar a edição é a modelo paraguaia Larissa Riquelme, que ficou conhecida durante as suas aparições na Copa do Mundo deste ano. Ainda não foram divulgadas quantas fotos serão veiculadas em 3D além da capa.


De acordo com informações do site da revista Veja, a edição também deve apresentar uma foto da Cléo Pires no formato tridimensional, atriz que estampou a capa do mês anterior da Playboy.


A revista será publicada com duas versões para a capa e o óculos para visualizar o conteúdo acompanhará a edição.

Veja como são feitas as animações 2D e 3D

Edição brasileira da Playboy terá capa em 3D

Setembro 02, 2010

sattotal

A versão brasileira da revista Playboy anunciou que a edição do mês de setembro terá capa em 3D. A publicação segue os passos da Playboy americana, que já havia anunciado em maio a divulgação da revista com detalhes em três dimensões.


A escolhida para ilustrar a edição é a modelo paraguaia Larissa Riquelme, que ficou conhecida durante as suas aparições na Copa do Mundo deste ano. Ainda não foram divulgadas quantas fotos serão veiculadas em 3D além da capa.


De acordo com informações do site da revista Veja, a edição também deve apresentar uma foto da Cléo Pires no formato tridimensional, atriz que estampou a capa do mês anterior da Playboy.


A revista será publicada com duas versões para a capa e o óculos para visualizar o conteúdo acompanhará a edição.

Veja como são feitas as animações 2D e 3D

Vídeo: Justin Bieber em programa de «apanhados» brasileiro

Setembro 02, 2010

sattotal

Justin Bieber foi «apanhado» num programa de humor brasileiro. O cantor sensação de 16 anos foi entrevistado por uma falsa jornalista que não sabia pronunciar o nome do Justin corretamente nem falar inglês.

A humorista Sabrina Sato, do programa «Pânico na TV», foi enviada aos Estados Unidos para entrevistar Bieber e levou uma intérprete para a ajudar.

Durante esta entrevista, Sabrina faz um esforço grande para comunicar em inglês mas o resultado é sempre uma pronúncia bastante estranha.

O facto de nunca conseguir pronunciar bem o nome do cantor leva Bieber a mostrar alguma antipatia durante a entrevista.

Veja o vídeo:

Vídeo: Justin Bieber em programa de «apanhados» brasileiro

Setembro 02, 2010

sattotal

Justin Bieber foi «apanhado» num programa de humor brasileiro. O cantor sensação de 16 anos foi entrevistado por uma falsa jornalista que não sabia pronunciar o nome do Justin corretamente nem falar inglês.

A humorista Sabrina Sato, do programa «Pânico na TV», foi enviada aos Estados Unidos para entrevistar Bieber e levou uma intérprete para a ajudar.

Durante esta entrevista, Sabrina faz um esforço grande para comunicar em inglês mas o resultado é sempre uma pronúncia bastante estranha.

O facto de nunca conseguir pronunciar bem o nome do cantor leva Bieber a mostrar alguma antipatia durante a entrevista.

Veja o vídeo:

Princesa Diana inspira anúncio de lingerie chinês que está a chocar os britânicos

Setembro 02, 2010

sattotal

Uma campanha publicitária que revela a princesa Diana em lingerie e tiara na cabeça a tocar violoncelo está a causar polémica em Inglaterra.

A campanha de publicidade, lançada na China, é da autoria da empresa chinesa Jealousy International, com sede na província de Guandong, e está exposta em outdoors gigantes localizados nos aeroportos chineses.

O slogan não ajudou a atenuar a polémica: «Sintam o romantismo da realeza britânica».

As fotos são de uma sósia da ex-mulher do príncipe Carlos, que morreu em Paris a 31 de Agosto de 1997.

Os ingleses mostram-se chocados com a colagem da campanha à imagem de Diana e ao facto de ter sido divulgada exatamente no dia do 13º aniversário da sua morte.

Princesa Diana inspira anúncio de lingerie chinês que está a chocar os britânicos

Setembro 02, 2010

sattotal

Uma campanha publicitária que revela a princesa Diana em lingerie e tiara na cabeça a tocar violoncelo está a causar polémica em Inglaterra.

A campanha de publicidade, lançada na China, é da autoria da empresa chinesa Jealousy International, com sede na província de Guandong, e está exposta em outdoors gigantes localizados nos aeroportos chineses.

O slogan não ajudou a atenuar a polémica: «Sintam o romantismo da realeza britânica».

As fotos são de uma sósia da ex-mulher do príncipe Carlos, que morreu em Paris a 31 de Agosto de 1997.

Os ingleses mostram-se chocados com a colagem da campanha à imagem de Diana e ao facto de ter sido divulgada exatamente no dia do 13º aniversário da sua morte.

Jornal irariano afirma que Carla Bruni merece «morrer»

Setembro 02, 2010

sattotal


A publicação iraniana que chamou «prostituta» a Carla Bruni voltou a atacar. O jornal ultraconservador «Kayhan» afirma que a primeira dama francesa «deve ser condenada à morte tal como Sakineh Mohammadi Ashtiani», a iraniana condenada ao apedrejamento.

«Carla Bruni merece morrer por causa da sua vida privada imoral. Estudar o passado de Carla Bruni mostra claramente a razão pela qual esta mulher imoral está apoiando a iraniana que foi condenada à morte por adultério e por cumplicidade com o assassinato de seu marido. De facto, ela também merece morrer», publicou o jornal.

Visite o site oficial do Jornal
 
 
 
Jornal estatal iraniano chama prostituta a Carla Bruni - 30-08-2010
 
 

Um jornal controlado pelo governo do Irão chamou «prostituta» a Carla Bruni num artigo de opinião.

A primeira-dama francesa foi uma das visadas num texto não assinado, publicado na página 2 da edição de sábado do jornal estatal «Kayhan», com o título «Prostitutas francesas entram no tema direitos humanos».

O artigo critica Carla Bruni e a atriz francesa Isabelle Adjani que assinaram um abaixo-assinado em defesa de Sakineh Mohammadi Ashtiani, uma iraniana condenada a apedrejamento por adultério.

No texto, o jornal afirma que Bruni é uma pessoa «imoral».

Na semana passada, a primeira-dama francesa escreveu uma carta aberta para Sakineh Mohammadi Ashtiani onde descreveu o horror que sente em relação ao caso:

«O rosto, o cérebro, alma, tudo transformado em alvo de lançadores de pedras. Esta imagem aterradora revoltante pode transformar-se em realidade», escreveu a primeira-dama em carta aberta publicada no site do filósofo Bernard-Henri Lévy.

Sakineh Mohammadi Ashtiani, de 43 anos, está presa no Irão desde 2006. Este ano foi acusada de adultério e condenada a uma sentença por apedrejamento.

Várias figuras públicas francesas integram um movimento para que esta mulher iraniana não seja apedrejada. Lévi tem publicado no site uma carta por dia a prestar apoio à iraniana.


Governo iraniano condena insultos a Carla Bruni


O Governo iraniano «não aprova» os insultos de alguns meios de comunicação social iranianos contra a mulher do Presidente francês, Nicolas Sarkozy, Carla Bruni, disse hoje o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Ramin Mehmanparast.

O jornal diário ultra conservador «Kayhan» comparou, este sábado, Carla Bruni a uma «prostituta» considerando a sua vida privada «imoral». Tudo porque a mulher de Nicolas Sarkozy defendeu publicamente uma iraniana condenada à morte por lapidação.

O jornal voltou hoje ao assunto com um artigo evocando «a indignação daquela prostituta italiana».

«A República islâmica não aprova o insulto contra os responsáveis de outros países», disse Mehmanparast aos jornalistas no seu briefing semanal.

«Podemos criticar a política hostil de certos países ou o comportamento de responsáveis de outros países e mostrar o nosso protesto, mas não é necessário recorrer aos insultos. Isso não é correto», acrescentou.

Carla Bruni afirmou a 23 de agosto numa carta aberta que a «França não abandonará» Sakineh Mohammadi Ashtiani, uma mãe de família de 43 anos condenada à morte por lapidação por, segundo as autoridades iranianas, adultério e cumplicidade na morte do seu marido.

Visite o site oficial de Carla Bruni


Jornal irariano afirma que Carla Bruni merece «morrer»

Setembro 02, 2010

sattotal


A publicação iraniana que chamou «prostituta» a Carla Bruni voltou a atacar. O jornal ultraconservador «Kayhan» afirma que a primeira dama francesa «deve ser condenada à morte tal como Sakineh Mohammadi Ashtiani», a iraniana condenada ao apedrejamento.

«Carla Bruni merece morrer por causa da sua vida privada imoral. Estudar o passado de Carla Bruni mostra claramente a razão pela qual esta mulher imoral está apoiando a iraniana que foi condenada à morte por adultério e por cumplicidade com o assassinato de seu marido. De facto, ela também merece morrer», publicou o jornal.

Visite o site oficial do Jornal
 
 
 
Jornal estatal iraniano chama prostituta a Carla Bruni - 30-08-2010
 
 

Um jornal controlado pelo governo do Irão chamou «prostituta» a Carla Bruni num artigo de opinião.

A primeira-dama francesa foi uma das visadas num texto não assinado, publicado na página 2 da edição de sábado do jornal estatal «Kayhan», com o título «Prostitutas francesas entram no tema direitos humanos».

O artigo critica Carla Bruni e a atriz francesa Isabelle Adjani que assinaram um abaixo-assinado em defesa de Sakineh Mohammadi Ashtiani, uma iraniana condenada a apedrejamento por adultério.

No texto, o jornal afirma que Bruni é uma pessoa «imoral».

Na semana passada, a primeira-dama francesa escreveu uma carta aberta para Sakineh Mohammadi Ashtiani onde descreveu o horror que sente em relação ao caso:

«O rosto, o cérebro, alma, tudo transformado em alvo de lançadores de pedras. Esta imagem aterradora revoltante pode transformar-se em realidade», escreveu a primeira-dama em carta aberta publicada no site do filósofo Bernard-Henri Lévy.

Sakineh Mohammadi Ashtiani, de 43 anos, está presa no Irão desde 2006. Este ano foi acusada de adultério e condenada a uma sentença por apedrejamento.

Várias figuras públicas francesas integram um movimento para que esta mulher iraniana não seja apedrejada. Lévi tem publicado no site uma carta por dia a prestar apoio à iraniana.


Governo iraniano condena insultos a Carla Bruni


O Governo iraniano «não aprova» os insultos de alguns meios de comunicação social iranianos contra a mulher do Presidente francês, Nicolas Sarkozy, Carla Bruni, disse hoje o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Ramin Mehmanparast.

O jornal diário ultra conservador «Kayhan» comparou, este sábado, Carla Bruni a uma «prostituta» considerando a sua vida privada «imoral». Tudo porque a mulher de Nicolas Sarkozy defendeu publicamente uma iraniana condenada à morte por lapidação.

O jornal voltou hoje ao assunto com um artigo evocando «a indignação daquela prostituta italiana».

«A República islâmica não aprova o insulto contra os responsáveis de outros países», disse Mehmanparast aos jornalistas no seu briefing semanal.

«Podemos criticar a política hostil de certos países ou o comportamento de responsáveis de outros países e mostrar o nosso protesto, mas não é necessário recorrer aos insultos. Isso não é correto», acrescentou.

Carla Bruni afirmou a 23 de agosto numa carta aberta que a «França não abandonará» Sakineh Mohammadi Ashtiani, uma mãe de família de 43 anos condenada à morte por lapidação por, segundo as autoridades iranianas, adultério e cumplicidade na morte do seu marido.

Visite o site oficial de Carla Bruni


Cientista britânico garante que não foi Deus que criou o Universo

Setembro 02, 2010

sattotal

Stephen Hawking considera que a prova que sustenta o argumento é o facto de ter sido observado um planeta que girava em torno de uma estrela distinta do Sol


O cientista britânico Stephen Hawking anunciou, esta quinta-feira, a publicação de um novo livro onde exclui a possibilidade de Deus ser o criador do Universo, ao contrário daquilo que defendia numa teoria anterior.

Da mesma forma que o darwinismo já tinha, no passado, rejeitado a necessidade de um criador no campo da biologia, também o conhecido astrofísico britânico argumenta agora - numa obra que em breve estará nas bancas - que as mais recentes teorias científicas rejeitam o papel de um criador do Universo.

Stephen Hawking afirma que o Big Bang - a grande explosão que originou o mundo - terá sido uma consequência inevitável das leis da física, o que contradiz a teoria que o cientista tinha defendido no passado, no livro «Uma Breve História do Tempo», publicado em 1998 e rapidamente transformado num êxito de vendas.

Nessa obra, Hawking sugeria que não existia qualquer incompatibilidade entre a existência de um Deus criador e a compreensão científica do Universo, chegando mesmo a afirmar que se a comunidade científica chegasse a descobrir a teoria completa, tal «seria o triunfo definitivo da razão humana» já que, nesse altura, «seria possível conhecer a mente de Deus».

No novo livro, intitulado «O Grande Desígnio» e que estará à venda a partir de 09 de Setembro, precisamente uma semana antes da visita do papa Bento XVI à Grã-Bretanha, o astrofísico sustenta que a ciência moderna não deixa lugar à existência de um Deus criador do Universo.

O cientista considera que a prova que sustenta o seu argumento é o facto de ter sido observado, em 1992, um planeta que girava em torno de uma estrela distinta do Sol. Hawking alega que essa observação comprova a possibilidade de existirem outros planetas e universos. O que significa, em seu entender, que se a intenção de Deus seria criar o Homem, estão os restantes universos seriam redundantes.

Visite o site oficial de Stephen Hawking

Cientista britânico garante que não foi Deus que criou o Universo

Setembro 02, 2010

sattotal

Stephen Hawking considera que a prova que sustenta o argumento é o facto de ter sido observado um planeta que girava em torno de uma estrela distinta do Sol


O cientista britânico Stephen Hawking anunciou, esta quinta-feira, a publicação de um novo livro onde exclui a possibilidade de Deus ser o criador do Universo, ao contrário daquilo que defendia numa teoria anterior.

Da mesma forma que o darwinismo já tinha, no passado, rejeitado a necessidade de um criador no campo da biologia, também o conhecido astrofísico britânico argumenta agora - numa obra que em breve estará nas bancas - que as mais recentes teorias científicas rejeitam o papel de um criador do Universo.

Stephen Hawking afirma que o Big Bang - a grande explosão que originou o mundo - terá sido uma consequência inevitável das leis da física, o que contradiz a teoria que o cientista tinha defendido no passado, no livro «Uma Breve História do Tempo», publicado em 1998 e rapidamente transformado num êxito de vendas.

Nessa obra, Hawking sugeria que não existia qualquer incompatibilidade entre a existência de um Deus criador e a compreensão científica do Universo, chegando mesmo a afirmar que se a comunidade científica chegasse a descobrir a teoria completa, tal «seria o triunfo definitivo da razão humana» já que, nesse altura, «seria possível conhecer a mente de Deus».

No novo livro, intitulado «O Grande Desígnio» e que estará à venda a partir de 09 de Setembro, precisamente uma semana antes da visita do papa Bento XVI à Grã-Bretanha, o astrofísico sustenta que a ciência moderna não deixa lugar à existência de um Deus criador do Universo.

O cientista considera que a prova que sustenta o seu argumento é o facto de ter sido observado, em 1992, um planeta que girava em torno de uma estrela distinta do Sol. Hawking alega que essa observação comprova a possibilidade de existirem outros planetas e universos. O que significa, em seu entender, que se a intenção de Deus seria criar o Homem, estão os restantes universos seriam redundantes.

Visite o site oficial de Stephen Hawking

História da NASA em fotos à distância de um clique

Setembro 02, 2010

sattotal

A Agência Espacial Norte-Americana (NASA) colocou à disposição do público, na plataforma de fotografias Flickr, mais de meio século da sua história, esperando agora que o público participe com comentários e recordações, noticia a Lusa.


As imagens podem ser encontradas numa galeria intitulada «The Commons», www.flickr.com/photos/nasacommons, espaço que a NASA acredita poder incentivar antigos funcionários ou visitantes das instalações a contribuírem para a construção de uma memória comum.

Os utilizadores que visitarem a galeria de fotos da NASA no Flickr podem adicionar palavras-chave às imagens, bem como identificar objectos e pessoas que reconheçam, tendo ainda a possibilidade de comunicar com outros visitantes.

Para tornar esta realidade possível, a NASA contou com a colaboração do Flickr, mas também do Internet Archive, uma organização sem fins lucrativos que guarda cópias dos vários sites dispersos pela net.

A galeria conta com álbuns como «Lançamentos e Descolagens», que reúne fotos das naves em voo, e «Criação da NASA», que agrupa fotografias da construção de algumas instalações da agência espacial.

Entre as fotografias, umas a preto e branco e outras a cor, figuram imagens do ex-presidente norte-americano John F. Kennedy, que dá nome ao centro espacial localizado na Flórida.

História da NASA em fotos à distância de um clique

Setembro 02, 2010

sattotal

A Agência Espacial Norte-Americana (NASA) colocou à disposição do público, na plataforma de fotografias Flickr, mais de meio século da sua história, esperando agora que o público participe com comentários e recordações, noticia a Lusa.


As imagens podem ser encontradas numa galeria intitulada «The Commons», www.flickr.com/photos/nasacommons, espaço que a NASA acredita poder incentivar antigos funcionários ou visitantes das instalações a contribuírem para a construção de uma memória comum.

Os utilizadores que visitarem a galeria de fotos da NASA no Flickr podem adicionar palavras-chave às imagens, bem como identificar objectos e pessoas que reconheçam, tendo ainda a possibilidade de comunicar com outros visitantes.

Para tornar esta realidade possível, a NASA contou com a colaboração do Flickr, mas também do Internet Archive, uma organização sem fins lucrativos que guarda cópias dos vários sites dispersos pela net.

A galeria conta com álbuns como «Lançamentos e Descolagens», que reúne fotos das naves em voo, e «Criação da NASA», que agrupa fotografias da construção de algumas instalações da agência espacial.

Entre as fotografias, umas a preto e branco e outras a cor, figuram imagens do ex-presidente norte-americano John F. Kennedy, que dá nome ao centro espacial localizado na Flórida.

Chile protege neutralidade da Internet

Setembro 02, 2010

sattotal

O Chile publicou uma lei que protege o princípio da neutralidade da Internet, tornando-se o primeiro país do mundo a fazê-lo. De acordo com o site especializado em Internet e tecnologia Fayerwayer, citado pela edição online do diário espanhol «El País», o deputado Gonzalo Arenas, precursor da iniciativa, mostrou-se muito contente com a publicação da norma em Diário Oficial, «porque é um grande progresso para salvaguardar os direitos dos utilizadores da Internet».

A lei chilena define que os fornecedores de acesso à Internet não podem «arbitrariamente» bloquear, interferir, discriminar, impedir ou restringir «o direito de qualquer utilizador» a usar, enviar, receber ou oferecer qualquer conteúdo, aplicação ou serviço legal através da Internet.

No seu artigo único, a norma considera que os operadores «deverão oferecer a cada utilizador um serviço de acesso à Internet ou de ligação ao fornecedor de acesso à Internet que não distinga arbitrariamente conteúdos, aplicações ou serviços baseados na fonte ou propriedade destes, tendo em conta as diferentes configurações da ligação à Internet, segundo o contrato vigente com os utilizadores».

A lei admite que «os concessionários de serviço público de telecomunicações e os fornecedores de acesso à Internet poderão tomar as medidas ou acções necessárias para a gestão do tráfego e a administração da rede, no âmbito exclusivo da actividade que lhes tenha sido autorizada, sempre que não tenha por objectivo realizar acções que afectem ou possam afectar a livre concorrência».

A publicação desta norma surge numa altura em que outros países, incluindo os da União Europeia, debatem a neutralidade da Internet. Nos Estados Unidos, a Google e a Verizon apresentaram uma proposta em que defendem este princípio, mas admitem uma excepção no caso dos serviços móveis. No entanto, empresas como a Amazon e o Facebook têm-se oposto a esta posição.

Chile protege neutralidade da Internet

Setembro 02, 2010

sattotal

O Chile publicou uma lei que protege o princípio da neutralidade da Internet, tornando-se o primeiro país do mundo a fazê-lo. De acordo com o site especializado em Internet e tecnologia Fayerwayer, citado pela edição online do diário espanhol «El País», o deputado Gonzalo Arenas, precursor da iniciativa, mostrou-se muito contente com a publicação da norma em Diário Oficial, «porque é um grande progresso para salvaguardar os direitos dos utilizadores da Internet».

A lei chilena define que os fornecedores de acesso à Internet não podem «arbitrariamente» bloquear, interferir, discriminar, impedir ou restringir «o direito de qualquer utilizador» a usar, enviar, receber ou oferecer qualquer conteúdo, aplicação ou serviço legal através da Internet.

No seu artigo único, a norma considera que os operadores «deverão oferecer a cada utilizador um serviço de acesso à Internet ou de ligação ao fornecedor de acesso à Internet que não distinga arbitrariamente conteúdos, aplicações ou serviços baseados na fonte ou propriedade destes, tendo em conta as diferentes configurações da ligação à Internet, segundo o contrato vigente com os utilizadores».

A lei admite que «os concessionários de serviço público de telecomunicações e os fornecedores de acesso à Internet poderão tomar as medidas ou acções necessárias para a gestão do tráfego e a administração da rede, no âmbito exclusivo da actividade que lhes tenha sido autorizada, sempre que não tenha por objectivo realizar acções que afectem ou possam afectar a livre concorrência».

A publicação desta norma surge numa altura em que outros países, incluindo os da União Europeia, debatem a neutralidade da Internet. Nos Estados Unidos, a Google e a Verizon apresentaram uma proposta em que defendem este princípio, mas admitem uma excepção no caso dos serviços móveis. No entanto, empresas como a Amazon e o Facebook têm-se oposto a esta posição.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub