Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIVE TV

LIVE TV

O grupo Anonymous atacou os sites do governo de Brasília

Janeiro 22, 2012

sattotal

Brasão
Imagem:- Google
O grupo de hackers Anonymous atacou esta madrugada os sites do governo do Distrito Federal de Brasília e a página na internet de uma cantora brasileira. As ações do grupo são um protesto contra o fecho do Megaupload.com.

O grupo de piratas informáticos publicou mensagens no Twitter a contar que tinham atacado uma centena de sites de Brasília e que estas intervenções duraram duas horas, de 02h47 até 04h20 (hora local).

O ciberataque atingiu também o site da cantora brasileira Paula Fernandes, onde se podia ler: "Se o Megaupload está fora do ar, você também está!", assinada por "GhostOffThreads" e com a imagem de 'V', do filme "V de vingança", símbolo do grupo, a preto e branco.

Os Anonymous, um grupo de hackers disseminados pelo mundo inteiro que se faz representar por uma máscara a branco e preto com um sorriso sarcástico, desativou há uns dias, durante várias horas, os sites do FBI e do Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Ontem, os Anonymous também atacaram o site do Eliseu, a sede da presidência francesa, depois do presidente francês, Nicolas Sarkozy, ter saudado a decisão do tribunal federal americano de fechar o site Megaupload.com, uma das mais importantes plataformas de troca de arquivos na internet.

O Megaupload.com contava com mais de 150 milhões de utilizadores e 50 milhões de visitantes por dia, ou seja, 4% do tráfego mundial na rede.

Segundo o FBI, o site "organiza a distribuição em massa" ilegal de conteúdo protegido por direitos de autores.

Fonte:-
Inês Alves c/ Lusa
Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

O grupo Anonymous atacou os sites do governo de Brasília

Janeiro 22, 2012

sattotal

Brasão
Imagem:- Google
O grupo de hackers Anonymous atacou esta madrugada os sites do governo do Distrito Federal de Brasília e a página na internet de uma cantora brasileira. As ações do grupo são um protesto contra o fecho do Megaupload.com.

O grupo de piratas informáticos publicou mensagens no Twitter a contar que tinham atacado uma centena de sites de Brasília e que estas intervenções duraram duas horas, de 02h47 até 04h20 (hora local).

O ciberataque atingiu também o site da cantora brasileira Paula Fernandes, onde se podia ler: "Se o Megaupload está fora do ar, você também está!", assinada por "GhostOffThreads" e com a imagem de 'V', do filme "V de vingança", símbolo do grupo, a preto e branco.

Os Anonymous, um grupo de hackers disseminados pelo mundo inteiro que se faz representar por uma máscara a branco e preto com um sorriso sarcástico, desativou há uns dias, durante várias horas, os sites do FBI e do Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Ontem, os Anonymous também atacaram o site do Eliseu, a sede da presidência francesa, depois do presidente francês, Nicolas Sarkozy, ter saudado a decisão do tribunal federal americano de fechar o site Megaupload.com, uma das mais importantes plataformas de troca de arquivos na internet.

O Megaupload.com contava com mais de 150 milhões de utilizadores e 50 milhões de visitantes por dia, ou seja, 4% do tráfego mundial na rede.

Segundo o FBI, o site "organiza a distribuição em massa" ilegal de conteúdo protegido por direitos de autores.

Fonte:-
Inês Alves c/ Lusa
Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Symantec admite que os seus sistemas foram violados

Janeiro 20, 2012

sattotal

A Symantec voltou atrás no caso do roubo do código fonte de várias versões do antivírus Norton e admitiu que este terá sido acedido por hackers num ataque aos seus sistemas.

A informação é avançada pela Reuters, que refere que a empresa de segurança admitiu a violação dos seus sistemas, contrariamente ao que disse na semana passada, quando um grupo de hackers indianos divulgou parte do código fonte de vários produtos da Symantec.

Na altura a fabricante do Norton afirmou que o acesso aos códigos em causa resultou de um ataque informático contra instituições governamentais da Índia, mas agora, depois de uma investigação interna, voltou atrás.

De acordo com a agência noticiosa, que cita um porta-voz da fabricante do Norton, a Symantec revela agora que hackers não identificados acederam aos sistemas da empresa em 2006, o que terá resultado no roubo do código fonte de cinco versões de antivírus da empresa, datadas daquele ano: Norton Antivirus Corporate Edition, Norton Internet Security, Norton Utilities, Norton GoBack e pcAnywhere.

Contudo, segundo Cris Paden, o ataque não coloca em risco a segurança dos utilizadores das versões mais recentes dos produtos da empresa.

Tal não é a opinião de uma analista citada pela Reuters, Laura DiDio, que considera que partes do código fonte roubadas poderão ainda estar presentes nas versões actuais dos produtos da empresa.
Segundo o porta-voz da Symantec, o antivírus que poderá ter estar mais exposto à divulgação do código é o pcAnywhere, mas realça que todos os utilizadores deste software já estão a ser notificados pela fabricante do Norton, que está a disponibilizar ajuda para que os utilizadores evitem problemas

Symantec admite que os seus sistemas foram violados

Janeiro 20, 2012

sattotal

A Symantec voltou atrás no caso do roubo do código fonte de várias versões do antivírus Norton e admitiu que este terá sido acedido por hackers num ataque aos seus sistemas.

A informação é avançada pela Reuters, que refere que a empresa de segurança admitiu a violação dos seus sistemas, contrariamente ao que disse na semana passada, quando um grupo de hackers indianos divulgou parte do código fonte de vários produtos da Symantec.

Na altura a fabricante do Norton afirmou que o acesso aos códigos em causa resultou de um ataque informático contra instituições governamentais da Índia, mas agora, depois de uma investigação interna, voltou atrás.

De acordo com a agência noticiosa, que cita um porta-voz da fabricante do Norton, a Symantec revela agora que hackers não identificados acederam aos sistemas da empresa em 2006, o que terá resultado no roubo do código fonte de cinco versões de antivírus da empresa, datadas daquele ano: Norton Antivirus Corporate Edition, Norton Internet Security, Norton Utilities, Norton GoBack e pcAnywhere.

Contudo, segundo Cris Paden, o ataque não coloca em risco a segurança dos utilizadores das versões mais recentes dos produtos da empresa.

Tal não é a opinião de uma analista citada pela Reuters, Laura DiDio, que considera que partes do código fonte roubadas poderão ainda estar presentes nas versões actuais dos produtos da empresa.
Segundo o porta-voz da Symantec, o antivírus que poderá ter estar mais exposto à divulgação do código é o pcAnywhere, mas realça que todos os utilizadores deste software já estão a ser notificados pela fabricante do Norton, que está a disponibilizar ajuda para que os utilizadores evitem problemas

Megaupload: Operação antipirataria desencadeia guerra online

Janeiro 20, 2012

sattotal

O site Megaupload foi encerrado pelas autoridades norte-americanas e o seu fundador foi detido após uma queixa da companhia discográfica Universal. O colectivo hacker Anonymous retaliou com o maior ataque de sempre.

Segundo a justiça norte-americana, o serviço de partilha de ficheiros Megaupload, um dos mais populares da internet, é responsável por prejuízos de quase 500 milhões de euros de autores e empresas da indústria discográfica e cinematográfica. Sete pessoas - quatro das quais detidas na Nova Zelândia, incluindo o fundador do Megaupload Kim Dotcom - são acusadas de associação criminosa e violação de direitos de autor.

Para além do encerramento do site, legalmente sediado em Hong Kong, foram apreendidos diversos servidores, material informático e outros bens no valor de 50 milhões de dólares.

A operação internacional surge após várias acções legais movidas por gigantes como a Universal, que recentemente contestara a participação de conhecidas estrelas da música pop num vídeo de promoção do Megaupload. Will.i.am, Kanye West e Alicia Keys são alguns músicos que defendem aquele site partilha de ficheiros, apesar da companhia discográfica não ter autorizado os artistas a participar no anúncio.
Polémica antipirataria

A acção contra o Megaupload, que em si não é um site de partilha de conteúdos protegidos, mas que pode ser utilizado para esse fim de forma anónima, acontece um dia após o protesto da Wikipédia e de outros importantes sites contra dois projectos-lei que neste momento são discutidos nos Estados Unidos.

Os diplomas PIPA e SOPA prevêem o encerramento de sites que contenham conteúdos protegidos, ainda que tenham sido utilizadores e não os administradores desses sites a difundir ilegalmente músicas, filmes ou fotografias. A título de exemplo, o YouTube poderia ser encerrado e enfrentar acção legal pelo facto de um utilizador divulgar naquele site um conteúdo protegido por direitos de autor, ainda que sem a autorização daquele serviço de vídeo.

Contra-ataque hacker


Entretanto, o caso Megaupload motivou aquele que será já o maior ataque de sempre protagonizado pela rede hacker Anonymous. Às 23h de quinta-feira (hora de Lisboa), 5,635 indivíduos participavam numa acção que tinha tornado indisponíveis os sites de várias organizações governamentais e empresas audiovisuais. FBI, Departamento de Justiça, Universal, MPAA e RIAA estavam offline.
Às 23h55, a CNN citava uma fonte do colectivo hacker para indicar que pelo menos 27.000 computadores estariam a ser utilizados no ataque.
Às primeiras horas de sexta-feira, o Megaupload voltava a estar disponível de forma clandestina através do endereço
http://megaupload.bz

Fonte:- SOL

Megaupload: Operação antipirataria desencadeia guerra online

Janeiro 20, 2012

sattotal

O site Megaupload foi encerrado pelas autoridades norte-americanas e o seu fundador foi detido após uma queixa da companhia discográfica Universal. O colectivo hacker Anonymous retaliou com o maior ataque de sempre.

Segundo a justiça norte-americana, o serviço de partilha de ficheiros Megaupload, um dos mais populares da internet, é responsável por prejuízos de quase 500 milhões de euros de autores e empresas da indústria discográfica e cinematográfica. Sete pessoas - quatro das quais detidas na Nova Zelândia, incluindo o fundador do Megaupload Kim Dotcom - são acusadas de associação criminosa e violação de direitos de autor.

Para além do encerramento do site, legalmente sediado em Hong Kong, foram apreendidos diversos servidores, material informático e outros bens no valor de 50 milhões de dólares.

A operação internacional surge após várias acções legais movidas por gigantes como a Universal, que recentemente contestara a participação de conhecidas estrelas da música pop num vídeo de promoção do Megaupload. Will.i.am, Kanye West e Alicia Keys são alguns músicos que defendem aquele site partilha de ficheiros, apesar da companhia discográfica não ter autorizado os artistas a participar no anúncio.
Polémica antipirataria

A acção contra o Megaupload, que em si não é um site de partilha de conteúdos protegidos, mas que pode ser utilizado para esse fim de forma anónima, acontece um dia após o protesto da Wikipédia e de outros importantes sites contra dois projectos-lei que neste momento são discutidos nos Estados Unidos.

Os diplomas PIPA e SOPA prevêem o encerramento de sites que contenham conteúdos protegidos, ainda que tenham sido utilizadores e não os administradores desses sites a difundir ilegalmente músicas, filmes ou fotografias. A título de exemplo, o YouTube poderia ser encerrado e enfrentar acção legal pelo facto de um utilizador divulgar naquele site um conteúdo protegido por direitos de autor, ainda que sem a autorização daquele serviço de vídeo.

Contra-ataque hacker


Entretanto, o caso Megaupload motivou aquele que será já o maior ataque de sempre protagonizado pela rede hacker Anonymous. Às 23h de quinta-feira (hora de Lisboa), 5,635 indivíduos participavam numa acção que tinha tornado indisponíveis os sites de várias organizações governamentais e empresas audiovisuais. FBI, Departamento de Justiça, Universal, MPAA e RIAA estavam offline.
Às 23h55, a CNN citava uma fonte do colectivo hacker para indicar que pelo menos 27.000 computadores estariam a ser utilizados no ataque.
Às primeiras horas de sexta-feira, o Megaupload voltava a estar disponível de forma clandestina através do endereço
http://megaupload.bz

Fonte:- SOL

Surge novo esquema de phishing no Facebook

Janeiro 17, 2012

sattotal

Foi encontrado um novo esquema de phishing no Facebook que visa roubar a informação pessoal e dados do cartão de crédito dos utilizadores da rede social, segundo avança o jornal Sol.

A fraude baseia-se em roubar os dados de login e números de cartões de crédito das vítimas. De acordo com um analista da Kaspersky Lab, fabricante de antivírus, uma das características do ataque é o facto de reutilizar os dados roubados para alterar o nome do perfil da conta da vítima para Facebook Security, escrito com caracteres ASCII. A fotografia do utilizador é também modificada, passando a surgir o logótipo do Facebook.

Para além disso, é ainda enviada uma mensagem para os contactos do visado. “Nesta mensagem, que consiste num ‘último aviso’, os contactos da vítima ficam a saber que alegadamente ‘a sua conta do Facebook será desativada já que alguém o denunciou. Por favor, restaure a segurança da sua conta em’, seguido de um link que remete para uma falsa página da rede social”, explica o Sol.

É a partir desse site fraudulento que são pedidos os dados pessoais das vítimas para, supostamente, restaurar a conta. De seguida, o utilizador recebe uma nova mensagem com o pedido de confirmação da identidade com um pagamento, o qual deve ser feito com cartão de crédito. Nesta “etapa” pretende-se roubar os dados financeiros, tal como tinha acontecido anteriormente com os pessoais.

Fonte: Sol

Surge novo esquema de phishing no Facebook

Janeiro 17, 2012

sattotal

Foi encontrado um novo esquema de phishing no Facebook que visa roubar a informação pessoal e dados do cartão de crédito dos utilizadores da rede social, segundo avança o jornal Sol.

A fraude baseia-se em roubar os dados de login e números de cartões de crédito das vítimas. De acordo com um analista da Kaspersky Lab, fabricante de antivírus, uma das características do ataque é o facto de reutilizar os dados roubados para alterar o nome do perfil da conta da vítima para Facebook Security, escrito com caracteres ASCII. A fotografia do utilizador é também modificada, passando a surgir o logótipo do Facebook.

Para além disso, é ainda enviada uma mensagem para os contactos do visado. “Nesta mensagem, que consiste num ‘último aviso’, os contactos da vítima ficam a saber que alegadamente ‘a sua conta do Facebook será desativada já que alguém o denunciou. Por favor, restaure a segurança da sua conta em’, seguido de um link que remete para uma falsa página da rede social”, explica o Sol.

É a partir desse site fraudulento que são pedidos os dados pessoais das vítimas para, supostamente, restaurar a conta. De seguida, o utilizador recebe uma nova mensagem com o pedido de confirmação da identidade com um pagamento, o qual deve ser feito com cartão de crédito. Nesta “etapa” pretende-se roubar os dados financeiros, tal como tinha acontecido anteriormente com os pessoais.

Fonte: Sol

ESET Portugal alerta para vírus no Facebook

Janeiro 17, 2012

sattotal

A ESET Portugal lançou um aviso sobre um e-mail fraudulento que está a circular na rede e que tem como objetivo levar os utilizadores do Facebook a activarem a nova forma de perfil denominada Timeline.

A ameaça surge através de um e-mail que não apresenta origem, nem fonte, mas usa o nome de dois meios de comunicação conhecidos (RTP e Techcrunch) como forma de convencer os utilizadores a descarregar um trojan.

A ativição do Timeline pode ser feita há já algum tempo, no entanto no e-mail é referido que esta funcionalidade é nova e que quem não consegue esperar mais pode seguir uma explicação da RTP para obter o “novo perfil em três minutos”.

O e-mail explica então que o site Techcrunch desenvolveu este método e descreve as etapas necessárias para activar o novo perfil. De seguida, é introduzida uma instrução falsa que recomenda ao utilizar o download de um ficheiro denominado Facebook-Config para facilitar todo este processo, deixando o vírus entrar no sistema.

Nuno Mendes da ESET Portugal explica que: “Considerando o Facebook como a maior rede social da actualidade, com mais de 4 milhões de utilizadores em Portugal, estes ataques de phishing acerca de um assunto tão recente como a funcionalidade Timeline, podem facilmente contribuir para um crescente número de computadores infectados.”

A ESET alerta assim para o perigo de aceder a este link, pois trata-se de um vírus para sistemas operativos Windows.

Fonte: EDC

ESET Portugal alerta para vírus no Facebook

Janeiro 17, 2012

sattotal

A ESET Portugal lançou um aviso sobre um e-mail fraudulento que está a circular na rede e que tem como objetivo levar os utilizadores do Facebook a activarem a nova forma de perfil denominada Timeline.

A ameaça surge através de um e-mail que não apresenta origem, nem fonte, mas usa o nome de dois meios de comunicação conhecidos (RTP e Techcrunch) como forma de convencer os utilizadores a descarregar um trojan.

A ativição do Timeline pode ser feita há já algum tempo, no entanto no e-mail é referido que esta funcionalidade é nova e que quem não consegue esperar mais pode seguir uma explicação da RTP para obter o “novo perfil em três minutos”.

O e-mail explica então que o site Techcrunch desenvolveu este método e descreve as etapas necessárias para activar o novo perfil. De seguida, é introduzida uma instrução falsa que recomenda ao utilizar o download de um ficheiro denominado Facebook-Config para facilitar todo este processo, deixando o vírus entrar no sistema.

Nuno Mendes da ESET Portugal explica que: “Considerando o Facebook como a maior rede social da actualidade, com mais de 4 milhões de utilizadores em Portugal, estes ataques de phishing acerca de um assunto tão recente como a funcionalidade Timeline, podem facilmente contribuir para um crescente número de computadores infectados.”

A ESET alerta assim para o perigo de aceder a este link, pois trata-se de um vírus para sistemas operativos Windows.

Fonte: EDC

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub