Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LIVE TV

LIVE TV

Tornados matam mais de 30 pessoas nos EUA

Março 04, 2012

sattotal

A série de tornados que atingiu os EUA matou pelo menos 34 pessoas. Neste sábado (3), foi dia de buscas por sobreviventes. A tormenta se estendeu do Golfo do México aos Grandes Lagos.

Os estados mais afetados foram do Alabama, Kentucky, Ohio e Indiana. Autoridades alertam que novos tornados podem atingir o sul da Geórgia e o norte da Flórida.

Tornados matam mais de 30 pessoas nos EUA

Março 04, 2012

sattotal

A série de tornados que atingiu os EUA matou pelo menos 34 pessoas. Neste sábado (3), foi dia de buscas por sobreviventes. A tormenta se estendeu do Golfo do México aos Grandes Lagos.

Os estados mais afetados foram do Alabama, Kentucky, Ohio e Indiana. Autoridades alertam que novos tornados podem atingir o sul da Geórgia e o norte da Flórida.

Tremor atinge a Sibéria e Taiwan

Fevereiro 26, 2012

sattotal

Fonte:- R7 e PAINEL GLOBAL

Um forte tremor de 6,8 atingiu o sudoeste da Sibéria. Não houve registro de vítimas. Terremoto também em Taiwan. O tremor de 6,1 assustou os moradores da região.


Prof = Profundidade em km
Tons de TNT = Quantidade de energia liberada equivalente em toneladas de TNT
BA = Quantidade de bombas atômicas equivalentes à de Hiroshima, de 20 Ktons de TNT




26/0214:294.7LEVEIlhas Andreanoff, Aleutas, Alasca 741650
26/0213:495.1MODERADOSul das ilhas Fiji 146600
26/0213:444.4LEVESudoeste da Sibéria (Rússia) 10450
26/0213:274.9LEVEHalmahera (Indonésia) 2343300
26/0213:174.5LEVESudoeste da Sibéria (Rússia) 10750
26/0213:134.8LEVERegião das Ilhas Vanuatu, Melanésia 882250
26/0213:064.9LEVESudoeste da Sibéria (Rússia) 103300
26/0212:504.7LEVESudoeste da Sibéria (Rússia) 101650
26/0212:125.0MODERADOSul das ilhas Fiji 354650
26/0211:595.2MODERADOSudoeste da Sibéria (Rússia) 99450
26/0211:504.4LEVESudoeste da Sibéria (Rússia) 10450
26/0211:174.9LEVESul das ilhas Fiji 723300
26/0211:075.2MODERADOSudoeste da Sibéria (Rússia) 109450
26/0210:522.8LEVESul do Alasca 900

Tremor atinge a Sibéria e Taiwan

Fevereiro 26, 2012

sattotal

Fonte:- R7 e PAINEL GLOBAL

Um forte tremor de 6,8 atingiu o sudoeste da Sibéria. Não houve registro de vítimas. Terremoto também em Taiwan. O tremor de 6,1 assustou os moradores da região.


Prof = Profundidade em km
Tons de TNT = Quantidade de energia liberada equivalente em toneladas de TNT
BA = Quantidade de bombas atômicas equivalentes à de Hiroshima, de 20 Ktons de TNT




26/0214:294.7LEVEIlhas Andreanoff, Aleutas, Alasca 741650
26/0213:495.1MODERADOSul das ilhas Fiji 146600
26/0213:444.4LEVESudoeste da Sibéria (Rússia) 10450
26/0213:274.9LEVEHalmahera (Indonésia) 2343300
26/0213:174.5LEVESudoeste da Sibéria (Rússia) 10750
26/0213:134.8LEVERegião das Ilhas Vanuatu, Melanésia 882250
26/0213:064.9LEVESudoeste da Sibéria (Rússia) 103300
26/0212:504.7LEVESudoeste da Sibéria (Rússia) 101650
26/0212:125.0MODERADOSul das ilhas Fiji 354650
26/0211:595.2MODERADOSudoeste da Sibéria (Rússia) 99450
26/0211:504.4LEVESudoeste da Sibéria (Rússia) 10450
26/0211:174.9LEVESul das ilhas Fiji 723300
26/0211:075.2MODERADOSudoeste da Sibéria (Rússia) 109450
26/0210:522.8LEVESul do Alasca 900

Frio congela o Danúbio e número de mortos na Europa chega a 590

Fevereiro 10, 2012

sattotal


Imagem: EPA/KOCA SULEJMANOVIC

O Danúbio congelado ao longo de centenas de quilómetros, milhares de pessoas isoladas pela neve e um novo registro de 590 mortes. O frio polar persiste na Europa e pode piorar este fim de semana.

O tráfego fluvial no Danúbio foi interrompido devido ao gelo que se estende por centenas de quilómetros na Áustria, Hungria, Croácia, Sérvia e Bulgária, paralisando as atividades na principal via comercial navegável da Europa.

Nos 588 km do rio na Sérvia, os blocos de gelo cobrem 100% da superfície com uma espessura de até 50 cm. As autoridades estimam que a navegação só poderá ser retomada dentro de dez dias.

Em todo o continente, particularmente no leste, o frio continua a fazer vítimas mortais. Esta manhã foi confirmado um novo saldo de 590 mortos.

Na Ucrânia, onde as temperaturas podem chegar aos 30 graus negativos no final desta semana, as autoridades suspenderam novos registos diários sem explicação. Mas, até terça-feira, quando foi divulgado o último número de vítimas oficial, esse era o país da Europa mais afetado, com 135 mortes (112 mortes causadas diretamente pelo frio).

Já na Polónia, o frio fez mais cinco novas vítimas, elevando para 82 o total de mortos desde o início da onda de frio, sem contar com as pessoas mortas sufocadas com monóxido de carbono ou em incêndios causados por sistemas de aquecimento defeituosos.

Na Rússia, onze pessoas morreram desde o início do mês em Moscovo em incêndios provocados pela utilização de aquecedores com defeito. Em todo o país, o frio fez 6 vítimas mortais desde o início de fevereiro
.
O frio matou mais 24 pessoas na Lituânia, dez na Letónia, onde o número de incêndios bateu um nível recorde, e uma na Estónia.

Na República Checa, foram 25 as pessoas mortas pelo frio. Para este fim de semana são esperadas temperaturas geladas de 40 graus negativos nas montanhas e -25° em Praga.

Na Bulgária, onde o frio deixou 30 mortos em 10 dias e todas as escolas continuam fechadas, o governo anunciou que vai interromper a exportação de eletricidade pois precisa de toda a sua capacidade para abastecer o próprio país. A Bulgária é um dos principais exportadores nos Balcãs, exportando para Grécia, Sérvia, Macedónia e Turquia.

Milhares de pessoas estão isoladas por causa da neve em cidades, geralmente sem eletricidade, na Sérvia, Croácia, Bósnia, Macedónia, Montenegro e Albânia. Foram necessárias operações com helicópteros na Bósnia e na Macedónia para abastecer com alimentos e medicamentos os moradores isolados e para transportar pessoas doentes para os hospitais.

Em França, a morte por hipotermia de pelo menos três idosos, entre eles um homem de 83 anos que deixou o carro bloqueado pela neve para tentar chegar em casa a pé, e a de dois moradores de rua em Paris, elevam para 12 o número de mortos.

Em Itália, como previsto, a neve voltou esta sexta-feira, moderada, mas provocando desespero, depois de uma tempestade de neve e temperaturas polares que fizeram pelo menos 45 mortos em dez dias. Na capital são esperados 30 cm de neve. As autoridades prepararam-se e distribuíram 4 mil pás, posicionaram 600 camiões limpa-neve nas principais estradas e mil toneladas de sal. No entanto, as pessoas continuam traumatizadas pela desorganização e o caos de sexta-feira e sábado passados, e armazenaram provisões para o fim de semana.

Ainda assim havia quem esperasse, ansiosamente, por uma vaga de frio assim. Em Hamburgo, na Alemanha, pela primeira vez em cinco anos, o maior festival de patinagem acontecerá este fim de semana no Aussenalster, lago fora da cidade que está coberto com mais de 20 cm de gelo. As autoridades da cidade, que espera um milhão de visitantes, deram sinal verde, após verificarem que a camada de gelo é suficientemente sólida.

Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Frio congela o Danúbio e número de mortos na Europa chega a 590

Fevereiro 10, 2012

sattotal


Imagem: EPA/KOCA SULEJMANOVIC

O Danúbio congelado ao longo de centenas de quilómetros, milhares de pessoas isoladas pela neve e um novo registro de 590 mortes. O frio polar persiste na Europa e pode piorar este fim de semana.

O tráfego fluvial no Danúbio foi interrompido devido ao gelo que se estende por centenas de quilómetros na Áustria, Hungria, Croácia, Sérvia e Bulgária, paralisando as atividades na principal via comercial navegável da Europa.

Nos 588 km do rio na Sérvia, os blocos de gelo cobrem 100% da superfície com uma espessura de até 50 cm. As autoridades estimam que a navegação só poderá ser retomada dentro de dez dias.

Em todo o continente, particularmente no leste, o frio continua a fazer vítimas mortais. Esta manhã foi confirmado um novo saldo de 590 mortos.

Na Ucrânia, onde as temperaturas podem chegar aos 30 graus negativos no final desta semana, as autoridades suspenderam novos registos diários sem explicação. Mas, até terça-feira, quando foi divulgado o último número de vítimas oficial, esse era o país da Europa mais afetado, com 135 mortes (112 mortes causadas diretamente pelo frio).

Já na Polónia, o frio fez mais cinco novas vítimas, elevando para 82 o total de mortos desde o início da onda de frio, sem contar com as pessoas mortas sufocadas com monóxido de carbono ou em incêndios causados por sistemas de aquecimento defeituosos.

Na Rússia, onze pessoas morreram desde o início do mês em Moscovo em incêndios provocados pela utilização de aquecedores com defeito. Em todo o país, o frio fez 6 vítimas mortais desde o início de fevereiro
.
O frio matou mais 24 pessoas na Lituânia, dez na Letónia, onde o número de incêndios bateu um nível recorde, e uma na Estónia.

Na República Checa, foram 25 as pessoas mortas pelo frio. Para este fim de semana são esperadas temperaturas geladas de 40 graus negativos nas montanhas e -25° em Praga.

Na Bulgária, onde o frio deixou 30 mortos em 10 dias e todas as escolas continuam fechadas, o governo anunciou que vai interromper a exportação de eletricidade pois precisa de toda a sua capacidade para abastecer o próprio país. A Bulgária é um dos principais exportadores nos Balcãs, exportando para Grécia, Sérvia, Macedónia e Turquia.

Milhares de pessoas estão isoladas por causa da neve em cidades, geralmente sem eletricidade, na Sérvia, Croácia, Bósnia, Macedónia, Montenegro e Albânia. Foram necessárias operações com helicópteros na Bósnia e na Macedónia para abastecer com alimentos e medicamentos os moradores isolados e para transportar pessoas doentes para os hospitais.

Em França, a morte por hipotermia de pelo menos três idosos, entre eles um homem de 83 anos que deixou o carro bloqueado pela neve para tentar chegar em casa a pé, e a de dois moradores de rua em Paris, elevam para 12 o número de mortos.

Em Itália, como previsto, a neve voltou esta sexta-feira, moderada, mas provocando desespero, depois de uma tempestade de neve e temperaturas polares que fizeram pelo menos 45 mortos em dez dias. Na capital são esperados 30 cm de neve. As autoridades prepararam-se e distribuíram 4 mil pás, posicionaram 600 camiões limpa-neve nas principais estradas e mil toneladas de sal. No entanto, as pessoas continuam traumatizadas pela desorganização e o caos de sexta-feira e sábado passados, e armazenaram provisões para o fim de semana.

Ainda assim havia quem esperasse, ansiosamente, por uma vaga de frio assim. Em Hamburgo, na Alemanha, pela primeira vez em cinco anos, o maior festival de patinagem acontecerá este fim de semana no Aussenalster, lago fora da cidade que está coberto com mais de 20 cm de gelo. As autoridades da cidade, que espera um milhão de visitantes, deram sinal verde, após verificarem que a camada de gelo é suficientemente sólida.

Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Onda de frio mata mais de 200 pessoas na Europa

Fevereiro 04, 2012

sattotal

Ucrânia, Romênia, Rússia e Polônia são os países mais afetados pela onda de frio que atinge a Europa.


Frio intenso já fez mais de 30 vítimas fatais na Polônia

A onda de frio já provocou a morte de 37 pessoas na Polônia, sendo oito na madrugada desta sexta-feira (3) quando os termômetros marcaram -37°C. Na Romênia, as águas do rio Danúbio congelaram.


Ucrânia registra a mais baixa temperatura do inverno

As praias do mar negro congelaram e a
temperatura chegou a -32°C. Mais de 100 pessoas já morreram.

Onda de frio mata mais de 200 pessoas na Europa

Fevereiro 04, 2012

sattotal

Ucrânia, Romênia, Rússia e Polônia são os países mais afetados pela onda de frio que atinge a Europa.


Frio intenso já fez mais de 30 vítimas fatais na Polônia

A onda de frio já provocou a morte de 37 pessoas na Polônia, sendo oito na madrugada desta sexta-feira (3) quando os termômetros marcaram -37°C. Na Romênia, as águas do rio Danúbio congelaram.


Ucrânia registra a mais baixa temperatura do inverno

As praias do mar negro congelaram e a
temperatura chegou a -32°C. Mais de 100 pessoas já morreram.

Empresário brasileiro que estava no estádio no Egito fala sobre tragédia de Port Said

Fevereiro 04, 2012

sattotal


O empresário brasileiro que mora no Egito e que estava presente no jogo que mais de 70 pessoas morreram fala sobre a tragédia no estádio em Port Said.


O Egipto encontra-se em estado de choque depois do banho de sangue no estádio de Port Said. Adeptos do Al-Ahli, regressados do desafio, foram recebidos por outros na estação principal do Cairo. Setenta e quatro mortos e mil feridos, alguns deles hospitalizados em estado grave, segundo o último balanço do governo. É o pior desastre da história do futebol egípcio.

Treze mil torcedores do Al-Masry, equipa que jogava em casa, invadiram o estádio após a vitória por 3-1 sobre o poderoso adversário, actual campeão nacional de futebol do Egipto. Muitos deles partiram para agressão, atacando os jogadores do Al-Ahly, o que provocou uma briga generalizada dentro do relvado.

A polícia tentou travar a violência, mas não teve como controlar a multidão. A maior parte das mortes foi causada pela correria dos adeptos, uma confusão que deixou muita gente pisoteada e sufocada.

O governo egípcio lançou uma campanha de doação de sangue para ajudar no tratamento dos feridos, decretou três dias de luto nacional e suspendeu todos os jogos do campeonato nacional de futebol.

A tragédia coloca a nu o vazio político deixado pela revolução de há um ano. As autoridades são acusadas de nada fazerem para restaurar a ordem, num país em que o período pós-revolução deixa a marca da violência.

Empresário brasileiro que estava no estádio no Egito fala sobre tragédia de Port Said

Fevereiro 04, 2012

sattotal


O empresário brasileiro que mora no Egito e que estava presente no jogo que mais de 70 pessoas morreram fala sobre a tragédia no estádio em Port Said.


O Egipto encontra-se em estado de choque depois do banho de sangue no estádio de Port Said. Adeptos do Al-Ahli, regressados do desafio, foram recebidos por outros na estação principal do Cairo. Setenta e quatro mortos e mil feridos, alguns deles hospitalizados em estado grave, segundo o último balanço do governo. É o pior desastre da história do futebol egípcio.

Treze mil torcedores do Al-Masry, equipa que jogava em casa, invadiram o estádio após a vitória por 3-1 sobre o poderoso adversário, actual campeão nacional de futebol do Egipto. Muitos deles partiram para agressão, atacando os jogadores do Al-Ahly, o que provocou uma briga generalizada dentro do relvado.

A polícia tentou travar a violência, mas não teve como controlar a multidão. A maior parte das mortes foi causada pela correria dos adeptos, uma confusão que deixou muita gente pisoteada e sufocada.

O governo egípcio lançou uma campanha de doação de sangue para ajudar no tratamento dos feridos, decretou três dias de luto nacional e suspendeu todos os jogos do campeonato nacional de futebol.

A tragédia coloca a nu o vazio político deixado pela revolução de há um ano. As autoridades são acusadas de nada fazerem para restaurar a ordem, num país em que o período pós-revolução deixa a marca da violência.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D